Artigo

Metodologias de gerenciamento de projetos: 10 opções para te ajudar a alcançar seus objetivos

Por Douglas da Silva, Web Content & SEO Associate, LATAM

Publicado 23 November 2020
Última atualização em 23 November 2020

Você sabe quais as principais metodologias de gestão de projetos?

Para que uma ideia possa sair do papel, é necessário esquematizar os conhecimentos, as habilidades, as técnicas e as ferramentas que serão utilizados em conjunto.

Nesse sentido, elabora-se um projeto com data para começar e para terminar e dividido em etapas que levarão a um fim específico.

Mas, para que seja possível alcançar os objetivos pretendidos nesse projeto, é necessário fazer um gerenciamento eficiente de todas as suas atividades e entregas.

Existem diversas metodologias de gestão de projetos. As metodologias ágeis, como o Scrum, por exemplo, são muito populares entre grandes empresas e extremamente eficazes.

No entanto, apenas 6% das empresas as utilizam. Isso porque elas não são indicadas para todo e qualquer tipo de projeto. Afinal, as metodologias de gerenciamento de projetos disponíveis são inúmeras! E, para cada projeto, um tipo de metodologia de gerenciamento diferente é o mais indicado.

Neste artigo, para que você tenha uma visão ampla de tudo isso, vamos apresentar as 10 principais metodologias de gestão de projetos:

  1. Waterfall
  2. Project Model Canvas
  3. ZOPP
  4. Lean
  5. Extreme Programming
  6. PERT
  7. Scrum
  8. Kanban
  9. PrInCe2
  10. Caminho crítico

Continue a leitura e saiba como esses métodos podem te ajudar a atingir os resultados desejados de forma ágil, eficiente e objetiva.

Leia também: Gestão de projetos de TI: entenda o que é, suas etapas + dicas de como fazer um gerenciamento eficaz

6 opções de metodologias de gerenciamento de projetos

Ao se dar início a um projeto, é extremamente importante definir, dentre os diferentes tipos de metodologia de projeto, aquele que mais combina com os seus objetivos e com os recursos que você tem disponíveis em sua empresa.

Descubra agora, nas próximas linhas, quais as principais metodologias de gestão de projetos que você pode usar. Estude as características de cada uma delas e como se encaixam na cultura organizacional de seu negócio e nas especificações do projeto em si.

Depois, escolha o método ideal para que seu projeto seja um sucesso!

1. Waterfall

Iniciando a nossa lista de metodologias de gerenciamento de projetos, temos a Waterfall. Nessa metodologia, as atividades são conduzidas de maneira sequencial, de cima para baixo, simulando uma cascata.

Daí seu nome. Waterfall, em inglês, significa queda d’água, ou cascata.

Mas por que utilizar a metodologia de gestão de projetos em cascata? Quais suas vantagens?

Geralmente, a Waterfall é utilizada em projetos cujo escopo de trabalho é claramente definido. Há uma maior rigidez na execução, o que significa que só é possível avançar para a próxima fase se todas as anteriores já tiverem sido concluídas.

Para projetos que exijam um dinamismo maior, a metodologia Waterfall não é a mais indicada, pois há pouca margem para mudanças de última hora.

Veja também: Adaptação à rápida mudança

2. Project Model Canvas

O modelo de negócios canvas é uma metodologia consagrada, muito usada para a modelagem de novos negócios. Mas NÃO é disso que estamos falando aqui! 

O Project Model Canvas é uma outra abordagem. Trata-se de mais uma das metodologias de gerenciamento de projetos, igualmente ágil e intuitiva, mas voltada para projetos, e não negócios!

A ideia é diminuir a quantidade de relatórios e documentos ao se gerenciar um projeto e focar naquilo que realmente importa. Para isso, são usadas apenas folhas de papel A4 e post-its.

No fundo, o segredo é responder de forma inteligente e baseada em fatos a essas 6 perguntas:

  1. por quê?
  2. o quê?
  3. quem?
  4. como?
  5. quanto?
  6. quando?

Sim, esta metodologia de gestão de projetos é claramente inspirada no Canvas Model, e adaptada para projetos. Conta com um template onde as perguntas serão respondidas por meio de post-its, durante um brainstorming com um grupo de pessoas relevantes para a execução do projeto.

Deve ser usada por quem não quer perder tempo ao gerenciar projetos.

Se você quer ver mais detalhes sobre ela, então, acompanhe este vídeo do professor José Finocchio Júnior:

Veja mais: Como a metodologia Canvas ajuda a entender o seu negócio?

3. ZOPP

O terceiro item da nossa lista de tipos de metodologia de projetos é o ZOPP, que significa Ziel-Orientierte Projekt Planung ou Método de Planejamento de Projetos Orientado por Objetivos em livre tradução.

No ZOPP, um grupo heterogêneo e multidisciplinar participa da elaboração do projeto. Por meio de diferentes perspectivas, acredita-se ser mais fácil obter sucesso no alcance de objetivos específicos.

4. Lean

Dando continuidade às metodologias de gerenciamento de projetos, temos o Lean. Essa abordagem busca tornar o projeto o mais enxuto possível, gerando uma significativa redução de custos e a mitigação de desperdícios.

No método Lean, utiliza-se apenas o necessário para a execução do projeto. Isso ajuda a garantir maior agilidade aos trabalhos.

Uma ferramenta que você incorporar a essa metodologia é o quadro Kanban, que organiza visualmente as tarefas a fazer, em execução e concluídas por meio de cards coloridos.

Vamos detalhar o Kanban como metodologia de gestão de projetos mais adiante.

Em resumo, podemos dizer que a metodologia Lean visa agregar o maior valor percebido possível aos produtos que estão sendo entregues, mas empregando o menor esforço e a menor quantidade de recursos, de forma a viabilizar uma entrega com qualidade e que atenda às necessidades e desejos dos clientes finais.

5. Extreme Programming

O Extreme Programming é um dos principais tipos de metodologia de projetos. O XP foi desenvolvido na década de 1990 e tem como objetivo criar ciclos curtos de desenvolvimento de projetos, o que garante maior agilidade nas entregas e redução de custos.

Como são feitas várias pequenas entregas durante o desenvolvimento do projeto, obtém-se mais feedbacks que contribuem para a qualidade final.

Assim, a cada etapa concluída, parte-se para a próxima, com a certeza de que os passos anteriores realmente contribuíram para satisfazer o cliente final.

Leia também: Como entregar valor para o cliente em uma jornada de encantamento?

6. PERT

PERT é o acrônimo para Project Evaluation Review Technique, ou Técnica de Revisão de Avaliação de Projetos, em livre tradução.

E por que utilizar a metodologia de gestão de projetos PERT?

O PERT é um método que possibilita organizar as etapas do projeto de modo a encontrar maneira de executá-las em menos tempo. Dessa forma, fica mais fácil estabelecer que atividades devem ser feitas primeiro e estimar quanto tempo o projeto vai levar para ser concluído.

Assim, tudo fica mais previsível e permite um planejamento bastante seguro das entregas e resultados. Por outro lado, o projeto acaba ficando um pouco “engessado”, devido à rigidez dessa metodologia.

7. Scrum

O Scrum é uma metodologia de gestão de projetos ágil e que possibilita otimizar o tempo de desenvolvimento das atividades.

Para você ter ideia da eficácia dessas metodologias, são exemplos de empresas que usam metodologias ágeis com amplo sucesso:

  • Apple;
  • Zara;
  • Facebook;
  •  PayPal.

No caso da metodologia ágil Scrum, o projeto é “quebrado” em ciclos menores com entregas incrementais. Esse método é regido por 3 princípios básicos:

  • Transparência: é necessário haver um alinhamento entre todos os envolvidos no projetos no que se refere aos requisitos de entrega e ao status dos ciclos;
  • Inspeção: tudo o que é feito no projeto deve ser inspecionado e acompanhado de perto;
  • Adaptação: o projeto está sujeito a passar adaptações durante sua execução.

8. Kanban

Criado pela Toyota, no Japão, após a Segunda Grande Guerra Mundial, o Kanban é uma metodologia visual para a gestão de processos que usa quadros com listas e cartões com tarefas. Era usado para diminuir ao máximo o estoque e evitar gargalos e atrasos na linha de produção.

Assim como o Scrum, outra metodologia ágil sobre a qual já falamos, o Kanban acabou sendo adaptado para diversos outros tipos de processos. Hoje é usado na criação de softwares, em agências de publicidade, na geração de conteúdo, no desenvolvimento de novos produtos e muito mais. Podendo, inclusive, ser usado como uma metodologia de gerenciamento de projetos.

Assim, na forma mais básica do uso do Kanban, são criadas 3 colunas:

  1. Para fazer (to do);
  2. Fazendo (doing);
  3. Feito (done).

E são colocados cartões na primeira coluna, com as tarefas necessárias para concluir o projeto. Dessa forma, conforme estão em execução ou são terminadas, as tarefas dos cartões vão mudando de colunas.

Mas é possível ampliar o número de colunas com as listas de tarefas, como neste exemplo de um projeto de criação de um website, com 9 colunas para colocar os cartões de tarefas:

  1. Para fazer;
  2. Criação layout pelo designer;
  3. Desenvolvimento dos códigos;
  4. Teste de usabilidade;
  5. Aprovação pelo cliente;
  6. Ajustes;
  7. Novo teste de usabilidade;
  8. Aprovação final pelo cliente;
  9. Site no ar.

Veja mais sobre o Kanban neste vídeo da Pluga:

9. PrInCe2

PrInCe2 é uma sigla para a expressão em inglês Projects in Controlled Environments, que significa Projetos em Ambientes Controlados.

Um dos grandes trunfos desta metodologia de gestão de projetos é sua flexibilidade. O objetivo é que seja usada em projetos de criação e desenvolvimento de novos produtos que não podem atrasar as entregas finais, por estarem inseridos em um cronograma rígido.

Isso envolve, muitas vezes, campanhas de publicidade e entrega dos produtos para os varejistas em datas especiais (como Natal ou Dia das Mães) e, por isso, tudo tem que ocorrer de forma extremamente sincronizada.

Dessa forma, para evitar problemas, todas as entradas e saídas do projeto são muito bem definidas e acompanhadas de perto pelos gestores do projeto.

10. Caminho crítico

Pense assim: para que um projeto ocorra de forma ideal, algumas etapas podem ocorrer em paralelo, mas outras não podem atrasar de forma alguma.

Por exemplo: para criar um site, desenvolvedores e designers podem trabalhar em paralelo, caso as páginas sejam criadas em blocos independentes. Mas, para entregar o site pronto, não adianta os designers criarem o layout final, se os respectivos códigos não estiverem prontos.

Assim, o caminho crítico é aquele que contém as atividades que não podem atrasar nenhuma de suas entregas, sob o risco de causar atrasos em cascata por todo o projeto, comprometendo-o seriamente.

Essa metodologia de gestão de projetos foi muito usada por grandes empresas nos anos 50, mas, com o desenvolvimento de novas tecnologias, foi gradativamente sendo substituída por outras abordagens no gerenciamento de projetos.

Essas foram as nossas 10 dicas de metodologias de gerenciamento de projetos. O que você achou?

E lembre-se: antes de escolher qual dessas metodologias de gerenciamento de projetos adotar, é importante fazer a avaliação dos seus objetivos, das características de seu projeto e quais vantagens ou desvantagens a metodologia pode trazer para ele.

A Zendesk conta com uma série de soluções omnichannel para melhorar a experiência de clientes e usuários de uma organização. Pode ser uma característica interessante para agregar valor a produtos ou serviços que você está desenvolvendo em seus projetos.