Artigo

Produtividade e competitividade: saiba as principais diferenças

Por Douglas da Silva, Web Content & SEO Associate, LATAM

Publicado 9 setembro 2021
Última atualização em 9 setembro 2021

Produtividade e competitividade são dois conceitos diretamente relacionados, embora tenham diferenças fundamentais. Entender ambos é essencial para traçar melhores estratégias e cobrar resultados mais assertivos e embasados de seus times. 

Sem falar que empresas produtivas têm uma vantagem competitiva em relação àquelas com desempenho inferior.

Um relatório do The Conference Board mostrou que, nos últimos sete anos (2007 a 2014), o aumento na eficiência da produção global reduziu aproximadamente um quarto em relação aos sete anos anteriores (1999 a 2006). 

O levantamento também sinalizou que, no curto prazo (próximos 12 meses), “a produtividade se tornará a principal fonte de competitividade e lucratividade para a maioria das empresas”. 

O fato é que as organizações devem focar em melhorar a vantagem competitiva e lucratividade, principalmente quando se trata de um período economicamente desafiador. 

Não existe uma “receita de bolo” para isso, mas é evidente que há a necessidade de priorizar a produtividade e a competitividade para manter um negócio em expansão.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue lendo. 

Produtividade e competitividade: qual a diferença?

Antes de começar, vamos entender cada um desses termos e conferir as diferenças entre eles. Também abordaremos os conceitos de eficiência e eficácia, já que normalmente eles estão associados à produtividade e à competitividade.

O que quer dizer produtividade? 

O conceito teórico de produtividade é a eficiência com que os recursos disponíveis são aproveitados para produzir bens e serviços. Não é trabalhar mais ou fazer mais, mas sim ter processos mais inteligentes e efetivos

Ela tem a ver tanto com o desempenho de cada indivíduo quanto com a macroestrutura de uma empresa. Assim, a baixa produtividade pode ter uma série de causas, dentre elas:

  • falta de desempenho e desenvolvimento individual;
  • perda de tempo na rotina de trabalho;
  • falta de engajamento dos colaboradores;
  • ausência de uma cultura forte na empresa;
  • gestores e líderes com falta de capacitação;
  • ferramentas inadequadas para o desenvolvimento do trabalho.

Os riscos para organizações com a produtividade em declínio é a redução da capacidade de crescer, competir com concorrentes e gerar lucro.

Vale destacar que o maior problema da redução da produtividade não são apenas os trabalhadores, mas, principalmente, o baixo investimento em inovação, tecnologia e equipamentos adequados para competir no mercado.

O que é competitividade?

Competitividade é o que faz uma empresa conseguir competir no mercado, conquistar investidores e clientes, e superar concorrentes. Ser uma instituição competitiva está diretamente relacionado a se tornar relevante para os consumidores. 

Para isso, é fundamental conhecer as preferências dos clientes, investir em tecnologia e inovação, e entregar produtos e serviços de excelência para que os consumidores escolham a empresa em detrimento dos seus concorrentes.

O que quer dizer eficiência e eficácia?

Eficiência, eficácia, produtividade e competitividade são termos usados com frequência quando se trata de gestão empresarial. Então, também vale conhecer as diferenças entre eficiência e eficácia.

Eficiência é fazer algo corretamente e com qualidade, utilizando o mínimo de recursos, seja tempo, ferramenta ou capital, por exemplo. Já eficácia é cumprir metas e atingir objetivos, não importando como isso será feito. 

Essas duas palavras costumam ser confundidas, então cuidado na hora de utilizá-las para não ser questionado se o termo foi empregado corretamente.

6 dicas sobre como melhorar a produtividade (e a competitividade, por consequência)

1. Impulsionar o desenvolvimento dos colaboradores

Os funcionários são a essência da força produtiva de qualquer negócio, então é preciso focar no desenvolvimento deles. Isso pode ocorrer por meio de treinamentos e alinhamentos recorrentes para evidenciar o impacto de cada um para o alcance de bons resultados. 

Nessas conversas, também é válido sinalizar o que precisa ser melhorado para atingir as metas estipuladas. 

2. Verificar se as pessoas certas estão nos cargos corretos

É natural que, passado um tempo, alguns colaboradores sintam que não estão desempenhando o papel que imaginavam quando foram contratados. 

Para evitar a redução da produtividade, é preciso conversar com cada pessoa para alinhar expectativas e descobrir se alguma mudança pode ser feita para aproveitar ao máximo seu potencial de trabalho. 

3. Saber priorizar tarefas e organizar demandas

Dois grandes vilões da produtividade e competitividade nas organizações são a desorganização e a falta de entendimento sobre prioridades. 

Em muitos momentos, as pessoas ficam “presas” em atividades que não têm um grande impacto para o negócio, ao passo que as prioridades são deixadas em segundo plano. 

Além disso, não ter um sistema para organizar demandas faz com que exista um risco significativo de algo ser esquecido. Para evitar que isso ocorra, é imprescindível contar com uma metodologia.

Aproveite para saber mais sobre o que é a metodologia ágil.

4. Ter atenção aos fatores biológicos

Como explicamos no começo deste artigo, a produtividade está relacionada tanto ao desempenho de cada indivíduo quanto à estrutura completa de uma companhia. Dessa forma, entender os limites dos colaboradores é essencial para manter a produtividade da empresa.

Por exemplo, normalmente as pessoas conseguem manter o foco em uma atividade por no máximo 45 minutos. Por isso é importante incentivar as pausas, como propõe a técnica Pomodoro. Nesse caso, o foco total é de 25 minutos, com pausas de 5 minutos.

A alimentação adequada e exercícios físicos também são vitais para um bom desempenho profissional. 

5. Investir em uma infraestrutura adequada

De nada adianta ter profissionais capacitados e nos cargos corretos se não existir uma infraestrutura para eles trabalharem com eficiência. É preciso investir em ferramentas para otimizar a rotina e permitir que a atenção esteja em alcançar o melhor resultado possível com cada tarefa. 

Quando se trata do atendimento ao cliente, por exemplo, é um diferencial competitivo ter um software que centralize todas as informações em um só lugar e que permita atender os consumidores com agilidade. 

Uma alternativa é o software de suporte ao cliente da Zendesk, uma solução completa, fácil de usar e que acompanha o crescimento do seu negócio. 

Com ela você economiza tempo, reduz custos e aumenta a satisfação dos clientes resolvendo em um único lugar os tickets de suporte criados via e-mail, telefone, mídias sociais ou no site da sua empresa. 

Os agentes ganham mais agilidade, os consumidores ficam mais satisfeitos, e sua empresa aumenta a produtividade e competitividade. Faça um teste gratuito agora mesmo!

6. Estar atento à evolução do mercado

Para garantir o seu espaço em um mercado tão competitivo, é preciso antever tendências, conhecer boas práticas, investir em recursos para aumentar a produtividade e entender quais são as necessidades dos seus clientes

Negócios que se destacam são aqueles que conquistam os consumidores, têm processos bem definidos e ditam o movimento do mercado. Então, esteja atento ao que seus concorrentes estão fazendo e não faça igual, faça melhor. 

Gostou desse conteúdo e compreendeu a importância de manter a produtividade e a competitividade em sua organização? Então, divida seu conhecimento compartilhando este post em suas redes sociais.

Software de suporte ao cliente

O software de suporte ao cliente da Zendesk é fácil de usar e oferece uma melhor experiência de atendimento.