Artigo

Business Analytics e Business Intelligence: qual a diferença?

Por Douglas da Silva, Web Content & SEO Associate, LATAM

Publicado 18 dezembro 2020
Última atualização em 18 Abril 2022

O objetivo do Business Analytics e Business Intelligence é o uso de dados para tomada de decisões estratégicas mais assertivas. Entretanto, esses dois conceitos não são a mesma coisa.

Enquanto o Business Intelligence responde a perguntas como “o que aconteceu?” e “o que provocou isso?”, o Business Analytics busca compreender “o que vai acontecer?”.  

A simples busca por respostas para perguntas diferentes já nos dá uma ideia mais concreta sobre o que estamos falando. Mas para entender a diferença entre Business Intelligence e Business Analytics e como tudo isso funciona na prática, continue lendo este artigo. 

O que é Business Intelligence?

Comparado ao termo Business Analytics, o Business Intelligence (BI) é um termo mais comum dentro das empresas. 

Entre os conceitos que permeiam o Big Data, o Business Intelligence é referente a busca por dados que monitorem as métricas da empresa, confirmando ou não o alcance dos resultados previamente estabelecidos. 

Por meio dos dados, dentro do BI, a empresa monitora seus indicadores e compreende os resultados obtidos em diferentes áreas do mercado. 

A gestão de dados contribui para que a empresa possa melhorar suas decisões de negócios. 

Para o monitoramento de todos os dados necessários para a avaliação das áreas estratégicas da empresas, são usadas uma série de ferramentas de:

  • automação de monitoramento; 
  • processamento analítico;
  • relatórios; 
  • gestão de desempenho. 

O objetivo do acompanhamento dos dados de BI é reagir a situações que se apresentam, tornando a tomada de decisão mais estratégica a partir da análise do que aconteceu. 

Em suma, o Business Intelligence é fundamental para identificar falhas nas diferentes áreas da empresa, permitindo uma reação e correção de trajeto.

Os dados coletados não são apenas números, mas informações. Em outras palavras, os dados coletados são altamente interpretáveis para identificar o que acontece e porque aconteceu, sejam falhas ou resultados de sucesso que podem ser replicados se compreendidos.  

Mas, o que é Business Analytics? Como falamos no início deste artigo não estamos falando de dois conceitos iguais. Business Analytics e Business Intelligence observam dados diferentes para responder a perguntas diferentes. 

O que é Business Analytics?

Business Analytics (BA) também está atrelado ao conceito do uso de dados do mercado para tomada de decisões.

É importante reforçar que esses dados podem ser coletados em diferentes áreas da empresa, sejam dados sobre:

Entretanto, enquanto o BI usa os dados para entender o que aconteceu e porque aconteceu, o BA usa os dados para prever novos cenários de mercado nas diferentes áreas estratégicas da empresa. 

“O que vai acontecer?”. Essa é a pergunta que o Business Analytics quer responder. Para isso, o conjunto de dados do Big Data são organizados pensando a partir de simulação de cenários em busca de previsões para o futuro das áreas estratégicas da empresa. 

Entender as tendências do mercado, dos consumidores, da tecnologia e mais. É por isso que o Business Analytics é considerado proativo, enquanto o BI é reativo (ou seja, ele permite a reação em relação a um cenário que já aconteceu). 

Em suma, o BA tem como objetivo usar os dados para simular e definir ações futuras para os próximos períodos. Para isso, ele usa:

  • análises quantitativas e estatísticas;
  • coleta de dados; 
  • coleta multimídia; 
  • modelos descritivos e mais. 

Qual a diferença entre Business Intelligence e Business Analytics?

Agora que você compreendeu o que é Business Intelligence e o que é Business Analytics, ficou mais fácil entender a relação entre eles e suas aplicações dentro da empresa. 

Em pesquisa da CMO Summit, 54% dos CMO de marketing acreditam que o big data será essencial para sua estratégia de marketing a longo prazo.

É impossível ignorar que a transformação digital permitiu um crescimento exponencial do  uso de dados na tomada de decisões nas empresas, tornando-as muito mais assertivas. 

As empresas hoje possuem muito mais chances de acertarem em suas previsões do que antes do acesso aos dados que a tecnologia permite ter acesso. 

Por meio dos dados, tanto a análise do que aconteceu (BI) quanto a avaliação de tendências sobre o que pode vir a acontecer (BA) devem ser usadas para otimizar os resultados das empresas, fazendo com que elas:

  • consertem erros;
  • aproveitem melhor seus acertos;
  • invistam nas áreas com mais chance de trazer mais resultados em menos tempo.

Dessa forma, a aplicação do Business Analytics e Business Intelligence deve ser realizada em conjunto. Isso significa que um não substitui o outro, pelo contrário, eles se complementam. 

O olhar para o que foi feito e para o que deve ser realizado permite que a empresa gere mais valor para o mercado e para ela mesma. A partir da identificação do que deu certo e do que deu errado a empresa passa a:

  • otimizar seus investimentos;
  • reduzir gastos;
  • aumentar o retorno sobre investimento. 

Ao entender as tendências do mercado e do público consumidor, as organizações aumentam seu poder competitivo

Tudo isso já começa a fazer parte das estratégias das grandes empresas, entretanto, também precisam fazer parte dos negócios de menor porte, principalmente os que têm menor capacidade de investimento. 

Pense que com o BI e o BA você reduz as chances de errar em uma decisão. Empresas com pouca capacidade de investimento precisam de mais assertividade para não usar o pouco capital que têm em áreas com poucas chances de prosperarem. 

O que é Power BI e para que serve?

Para colocar em prática os princípios do Business Analytics e Business Intelligence é preciso atualizar os equipamentos que vão guiar a equipe nesse caminho.

O Power BI é um grupo de ferramentas que executa a análise de dados e ajuda a extrair insights baseados nos resultados das atividades da empresa ou de dados externos

Esse tipo de recurso serve para ajudar as empresas a conhecerem o próprio negócio, o mercado em que está inserida e quais as melhores decisões a tomar para crescer e ganhar competitividade. 

Como funciona o Power BI?

Imagine que sua empresa tem um banco de dados ou mesmo diversas fontes de onde é possível extrair informações. Ter isso tudo disponível já é uma vantagem, porém separados esse montante não significa nada.

Um solução de Power BI implementa softwares, apps e conectores que funcionam em conjunto para decodificar as fontes de dados disponíveis, mas independentes entre si, em análises correlacionadas e claras.

Dessa forma, as equipes de um departamento como o de Vendas, por exemplo, podem estudar o comportamento dos clientes e quais necessidades estão sendo atendidas e quais oportunidades ainda existem no mercado. 

Independentemente de onde se encontra o banco de dados, seja em uma planilha ou na nuvem, com uma solução de Power BI as fontes são conectadas para que seja feita uma leitura dos dados e criados relatórios a partir do que foi descoberto. 

Componentes do Power BI

Dependendo do provedor do serviço, a estrutura de Power BI pode variar, mas, em geral, inclui:

  • um programa para desktop;
  • um software SaaS (software como serviço) que opera online;
  • um aplicativo para dispositivos móveis.

Como dá para perceber, o Power BI é uma estrutura flexível que permite extrair análises, não importa de qual aparelho o profissional esteja trabalhando. 

Principais usos do Power BI

Com um sistema de Power BI pronto, ele pode ser utilizado como apoio em projetos específicos ou para auxiliar o trabalho de uma equipe. Alguns exemplos de uso práticos são:

Criar relatórios

Ao invés de ler, interpretar e montar relatórios de dados manualmente, o Power BI faz esse trabalho, facilitando a criação de planos de ação para melhorar algum processo.

Por exemplo, se a satisfação dos clientes está diminuindo, o software pode pesquisar no sistema a média de NPS (Net Promoter Score) de cada venda fechada. Outros dados como agilidade na entrega, atendimento pós-venda podem ser incluídos no relatório também.

Dessa forma, a equipe consegue trabalhar em cima das pontuações e notas para identificar em que ponto o processo de vendas não está funcionando.

Montar dashboards em tempo real

Outro uso do Power BI é na orientação de uma atividade específica para mostrar os resultados em tempo real em uma tela. 

Esses dashboards podem ser implementados para ajudar a monitorar um sistema de produção, indicando a quantidade produzida por minuto, estoque de matéria-prima, energia, etc. Os dados ajudam a equipe a melhorar sua produtividade e manter o sistema ativo.

Compartilhar informações com rapidez

Os relatórios gerados por Power BI podem ser exportados e compartilhados com facilidade entre a equipe, agilizando a comunicação dos envolvidos em uma atividade ou projeto.

Como as análises utilizando Business Intelligence podem ser personalizadas, cada departamento da empresa tem a liberdade de acessar e extrair as informações conforme os filtros que precisar.

Conectar o banco de dados a APIs de Power BI

Se uma empresa desenvolve seus próprios aplicativos ou sistemas, estes podem ser integrados às APIs de Power BI para executar análises específicas que tenham como fonte os bancos de dados da empresa.

É possível criar, inclusive, layouts personalizados para posicionar os dados da forma desejada na tela, facilitando a leitura e a análise.

Importância dos dados na estratégia das empresas

Dados são o novo petróleo”. A frase do cientista Clive Humby tem sido repetida aos quatro cantos no mundo dos negócios e não é à toa. De acordo com o Instituto Gartner e a Domo, 40 trilhões de gigabytes de dados foram gerados em um levantamento que analisou 2020.

A existência de análises como Business Analytics e Business Intelligence mostra que saber interpretar informações que estão disponíveis, é uma forma de encontrar tendências ainda não exploradas no mercado.

Por isso, os negócios que ainda não investem em análises ou na criação de projeções estão perdendo oportunidades de crescimento.

O principal nesse contexto é saber transformar os dados em conhecimento para identificar erros e acertos na estratégia, assim como criar projeções para ações futuras.

Então, tanto as fontes de dados internas quanto as externas podem contribuir para o planejamento de diversos setores como marketing, vendas, financeiro, etc.

Além de investir em ferramentas, é importante reforçar a estrutura interna, trazendo profissionais que conheçam de Business Analytics e Business Intelligence para auxiliar nesse processo.

Assim, é possível criar uma estrutura integrada e aproveitar cada informação coletada a favor da estratégia de crescimento da empresa.

Invista em ferramentas de dados para ajudar nas vendas

O feeling e o achismo perdem cada dia mais espaço dentro de um cenário altamente tecnológico, com ferramentas de análises pagas e gratuitas e com o volume de informações circulando. 

Cabe à empresa transformar números em informações e agir diante delas, seja diante do atendimento ao cliente, do setor de vendas, marketing, financeiro e outras áreas. 

Como dissemos ao longo deste artigo, o uso de ferramentas que ajudam na coleta e gestão de dados é fundamental para tornar mais eficiente as decisões da sua empresa.

Por isso, conheça a Zendesk e nossas soluções de softwares de suporte, vendas e estratégias de engajamento do cliente. Eles são rápidos de implementar, fáceis de usar e podem ser redimensionados para atender às suas necessidades.

Dentro da solução de Sales Support Suite, conheça o Guide, um recurso que te ajuda a ter uma base de conhecimento estruturada sobre seus clientes. Conheça mais no vídeo abaixo: