Ir para o conteúdo principal

Artigo 11 min read

Inteligência artificial no dia a dia: como a IA ajuda as pessoas?

Por Zendesk

Última atualização em 12 dezembro 2023

Mesmo que tenha muito para evoluir e tenha ganhado força há pouco tempo, a verdade é que a participação da inteligência artificial no dia a dia das pessoas está cada vez mais evidente. A tecnologia, capaz de automatizar tarefas e processar um enorme volume de dados, tem um grande potencial para facilitar a rotina.

Como qualquer advento da transformação digital, a IA é uma ferramenta capaz de promover mudanças definitivas na forma como nos comunicamos, trabalhamos e interagimos com o mundo. Ou seja, ela promoveu uma verdadeira revolução na sociedade.

Em meio a discussões se isso é bom ou ruim, se máquinas inteligentes irão substituir trabalhadores ou não, entre outras previsões “alarmantes”, na realidade já conseguimos assimilar muitas das novidades que a tecnologia atual pode proporcionar.

Os exemplos de inteligência artificial vão desde os bots que atendem as centrais de suporte e fazem a triagem dos chamados, até aplicativos de rotas, que identificam possíveis engarrafamentos e calculam o trajeto mais eficiente em tempo real, com base nos dados dos próprios usuários.

Nesse post, vamos abordar os principais usos da IA na rotina das pessoas, com os pontos positivos e negativos dessa integração. Além disso, vamos listar vantagens claras adquiridas com essa tecnologia e como ela pode ser utilizada para a gestão de equipes e empresas.

Aproveite a leitura!

O que é inteligência artificial?

A inteligência artificial ou IA é a área da ciência da computação que desenvolve sistemas e algoritmos que conseguem reproduzir, mesmo que parcialmente, a inteligência humana. Com isso, as máquinas podem ser capazes de pensar, aprender, entender a fala, perceber e identificar sons e imagens, solucionar problemas complexos e evoluir com o aprendizado adquirido.

Na prática, isso significa que uma IA pode aprender por conta própria e, dessa forma, se tornar cada vez mais eficiente na coleta e análise de informações. Atualmente elas já conseguem reconhecer imagens com precisão, entendem o que falamos e até se comunicam com naturalidade.

O mais interessante é perceber que essa tecnologia foi prevista e baseada em teorias dos anos 1950, desenvolvidas por Alan Turing, matemático e cientista inglês que é considerado o pai da computação.

Na sua época, a tecnologia necessária para impulsionar a inteligência artificial sequer existia. Isso só foi acontecer com o avanço do processamento de dados proporcionado pelo Big Data

Além disso, devemos destacar a evolução do machine learning, que é uma subárea da IA, focada na reprodução do método de aprendizado humano em máquinas e sistemas digitais.

Parece até coisa de ficção científica, mas a verdade é que essa realidade já faz parte da sociedade moderna e tem tudo para aumentar sua relevância nos próximos anos.

Sugestão de leitura: Entenda a diferença entre inteligência artificial, machine learning e deep learning

Quais são os tipos de inteligência artificial que existem?

De acordo com uma abordagem mais básica do conceito, existem três tipos de inteligência artificial, que são:

  1. Inteligência Artificial Limitada ou Fraca (Narrow Artificial Intelligence);
  2. Inteligência Artificial Geral ou Forte (Artificial General Intelligence);
  3. Superinteligência Artificial (Artificial Superintelligence).

Inteligência Artificial Limitada ou Fraca (Narrow Artificial Intelligence)

O primeiro tipo é conhecido como inteligência artificial limitada, IA fraca ou pela sigla NAI, do inglês Narrow Artificial Intelligence, Ela funciona com base em funções específicas e cenários pré-programados.

Podem ser baseadas em regras, machine learning e processamento de linguagem, mas são limitadas para armazenar dados, processar análises e fazer cálculos. 

Elas se dividem entre máquinas reativas e de memória limitada. 

As máquinas reativas respondem a estímulos, entregando apenas respostas automáticas, programadas a partir de regras e prompts específicos, ou seja, não tem capacidade de memória.

Junto delas, as máquinas de memória limitada são ligeiramente mais complexas. Elas possuem funções de memória, sendo capazes de manter um histórico de interações e até tomar decisões básicas.

Como exemplo de IA de memória limitada, temos os algoritmos de redes sociais que indicam conteúdos, buscadores de internet e assistentes virtuais, como a Alexa.

Inteligência Artificial Geral ou Forte (Artificial General Intelligence)

A IA forte continua em desenvolvimento, apesar de estar presente em alguns aspectos da nossa rotina. Bem mais complexas e potentes, acredita-se que elas são capazes de se equiparar à habilidade cognitiva de uma pessoa de verdade.

Dessa forma, a ideia é que, por ser capaz de processar um volume de dados enorme, com altíssima velocidade, consiga até superar o raciocínio humano. As tecnologias desse grupo se dividem entre máquinas cientes e autoconscientes.

As cientes compreendem estímulos e informações passadas pelos usuários, enquanto as autoconscientes percebem o mundo ao redor. Elas são mais eficientes no processamento de estímulos e apresentam uma “noção” da própria existência.

Superinteligência Artificial (Artificial Superintelligence)

Por fim, chegamos ao grupo exclusivamente teórico, no momento. O conceito de superinteligência artificial se refere a máquinas com capacidades cognitivas e intelectuais sobre-humanas, com domínio sobre todos os ramos conhecidos da ciência e a possibilidade de superar os limites da nossa mente.

8 pontos positivos da Inteligência Artificial no dia a dia

Em geral, podemos listar os seguintes pontos positivos da tecnologia, considerados benefícios da inteligência artificial para a rotina humana:

  1. alta capacidade de solucionar problemas;
  2. automatiza tarefas recorrentes;
  3. proporciona inovação constante;
  4. desempenha várias funções ao mesmo tempo;
  5. capacidade de processar grandes volumes de dados;
  6. identifica padrões e facilita pesquisas;
  7. atuação eficiente, confiável e com menos custos;
  8. eleva a produtividade.

Na maioria das vezes, sequer percebemos como a inteligência artificial ajuda no dia a dia. A princípio, podemos destacar a capacidade de gerar soluções assertivas em tempo real. 

Como no exemplo citado, de aplicativos de GPS, que conseguem recalcular a rota rapidamente e indicar o melhor caminho para chegar no seu destino, com base em informações de localização recebidas e processadas em tempo real.

Outra vantagem interessante é a automação de tarefas repetitivas, como monitorar tags, acompanhar métricas, traduzir posts, revisar a ortografia, entre outras funcionalidades que raramente notamos, apesar de serem utilizadas o tempo todo.

É curioso como elas podem inovar a forma como nos comunicamos e seguimos com a vida. Atualmente, qualquer empreendimento pode atender clientes por meio do WhatsApp Business e configurar um bot com mensagens automáticas, para facilitar o contato.

Mais que isso, a inteligência artificial consegue processar um grande volume de dados com extrema velocidade, o que é útil para gerar insights e produzir relatórios de performance sempre que for necessário, em poucos cliques.

Também é interessante observar o funcionamento dos algoritmos, usados pelas redes sociais para identificar padrões comportamentais do usuário e indicar postagens que ele pode curtir, para fazer com que ele permaneça ativo na plataforma por mais tempo.

Como ferramenta de trabalho, é importante destacar que a IA no dia a dia permite gerenciar tarefas e verificar informações com maior confiabilidade e eficiência que os humanos, que em tarefas recorrentes podem perder o foco e cometer erros básicos.

Dessa forma, ela pode tirar uma carga monótona da demanda, reduzindo o tempo perdido e, consequentemente, aumentando a produtividade.

Leia também: Como a inteligência artificial pode transformar a experiência do cliente?

4 pontos negativos da Inteligência Artificial no dia a dia

Entre os pontos negativos do uso da Inteligência Artificial no dia a dia, podemos destacar:

  1. falta de originalidade;
  2. dependência de prompts adequados;
  3. falta de coerência;
  4. impacto comportamental.

Afirmações exageradas sobre como a inteligência artificial vai substituir profissionais e tornar certas atividades obsoletas não são tão relevantes, mas, como tudo na vida, a adoção de IAs também tem seu lado negativo.

Para começar, conteúdos produzidos por IA, como obras de arte, peças gráficas e textos em geral correm um grande risco de serem considerados plágio. Isso porque a máquina frequentemente retira partes de várias fontes diferentes para “criar” o que foi pedido.

Além disso, por se aproveitar de referências diversas, que por vezes apresentam ideias contrárias, o material pode não ser coerente e apresentar ideais totalmente fabricadas.

Principalmente no caso de IAs fracas, mais limitadas, para ter um resultado satisfatório é necessário definir um comando detalhado e bastante específico, o que pode ser mais trabalhoso do que conduzir uma pesquisa por conta própria.

Por fim, já que falamos anteriormente sobre como os algoritmos de redes sociais são eficientes e estimulam as pessoas a continuarem navegando por longos períodos, é importante ressaltar o impacto comportamental e psicológico que isso causa.

A IA é tão boa no que faz, que condiciona a conduta humana e pode gerar uma espécie de vício, prejudicando em níveis variados a conclusão de tarefas na sua rotina. Porém, devemos destacar que esse cenário é bastante específico, não afeta todos os usuários de redes sociais e não é necessário agir de maneira paranoica.

9 exemplos de inteligência artificial no dia a dia

Já falamos sobre muitos dos exemplos de inteligência artificial no dia a dia ao longo do texto. Agora, é hora listar os mais importantes e impactantes da nossa rotina, que auxiliam na comunicação, desempenho de tarefas diárias, entretenimento e muitos outros aspectos. Confira!

1. E-mail

Você já reparou que o seu provedor de e-mail identifica automaticamente mensagens que oferecem risco ou de remetentes que raramente abrem, encaminhando-as direto para o lixo eletrônico? Esse mecanismo é baseado em IA e tem passado por atualizações constantes para se tornar mais eficaz e seguro.

Com ele, sem a necessidade de abrir a mensagem, já é possível saber que se trata de um golpe ou tentativa de phishing.

2. Ferramentas de atendimento

Quando entramos em contato com canais de atendimento ao cliente e recebemos mensagens automáticas, que pedem confirmação de dados pessoais e informações sobre o motivo do chamado, temos um exemplo de robô de suporte, que geralmente é baseado em inteligência artificial.

Com isso, a ferramenta armazena dados de identificação, registra o histórico de suporte, identifica temas relevantes e responde dúvidas. Caso não consiga gerar soluções satisfatórias, o bot usa o que aprendeu sobre o problema para encaminhar o cliente para o setor de suporte adequado.

3. Redes sociais

Já falamos sobre elas algumas vezes. As redes sociais contam com inteligências artificiais para desempenhar diversas funções, como identificar interesses, sugerir publicações, impulsionar anúncios personalizados e até monitorar postagens para assegurar que estão de acordo com os termos de uso da plataforma.

4. Mecanismos de busca

Os buscadores de sites na internet, como o Google, o Bing, comparadores de preço como Zoom e Buscapé, e, de certo modo, até o YouTube, usam bots e IA para encontrar os resultados mais relevantes, considerando os termos de pesquisa e o histórico dos usuários.

5. Plataformas de streaming

Assim como as redes sociais, plataformas de streaming também gostam quando você decide maratonar. Nesse caso, elas usam IA para indicar títulos que podem lhe interessar, continuar com a reprodução automática de episódios e, periodicamente, verificar se ainda está assistindo.

6. Serviços bancários

Pensando na segurança dos usuários, aplicativos de bancos físicos e digitais usam a tecnologia de IA para verificar transações financeiras e evitar golpes. Ao identificar movimentações incomuns, a conta pode ser bloqueada para preservar os fundos do dono da conta.

7. Sistemas de segurança on-line

Com o objetivo de aumentar a segurança dos usuários de internet, empresas estão investindo em sistemas de proteção de dados, que escaneiam databases que armazenam informações vazadas ou obtidas ilegalmente, como senhas, identidade e elementos bancários, como número de cartão de crédito e contas.

Essas ferramentas de IA fazem um monitoramento constante desses centros e alertam os usuários quando detectam a apropriação indevida das informações pessoais.

8. Apps de trânsito e GPS

Os apps de trânsito e GPS, como Waze e Google Maps, já atuam como redes sociais e agregam tecnologias interessantes, para usar dados compartilhados pelos próprios usuários para otimizar a experiência fornecida em tempo real.

9. Sistemas de gestão

Por fim, podemos destacar softwares e sistemas de gestão de equipes, que são usados para organizar a demanda e gerenciar as tarefas diárias de times remotos, híbridos ou físicos. 

Essas plataformas integram e centralizam  diversos canais em um só ambiente, além de usarem IAs para automatizar tarefas, alimentar indicadores e analisar dados de performance, entre outras demandas repetitivas.

Como exemplo, podemos citar o software de gestão de atendimento Zendesk Service, que reúne diversos recursos para dar mais qualidade à experiência dos seus clientes, além de facilitar a rotina dos agentes de suporte e auxiliar gestores a monitorar os números alcançados em tempo real.

A IA da Zendesk foi desenvolvida para melhorar a atuação de bots e auxiliar empresas a organizarem o fluxo operacional com excelência. Saiba mais sobre as vantagens exclusivas da Zendesk, peça uma demonstração interativa ou cadastre-se para começar sua avaliação gratuita.

Histórias relacionadas

Artigo
5 min read

Como melhorar os processos internos de uma empresa? 5 dicas

Buscando saber como melhorar os processos internos de uma empresa, seja um pequeno ou grande negócio?…

Artigo
9 min read

Sistemas de IA para experiências do usuário: urgências e tendências

Entenda como os sistemas de IA para experiências do usuário podem ser utilizados para otimizar o trabalho dos agentes e trazer mais satisfação aos clientes.

Artigo
6 min read

Dados em tempo real: como melhoram a experiência do cliente?

O uso de dados em tempo real vem ganhando força entre os líderes de CX e as empresas. Aprenda a implementar esse recurso em seu negócio!

Artigo
7 min read

Tendências emergentes no CX Inteligente: uma visão geral

Descubra quais as principais tendências de CX Inteligente e como os líderes de CX estão encarando essas tecnologias emergentes.