Artigo

Análise swot: como fazer passo a passo?

Por Douglas da Silva, Web Content & SEO Associate, LATAM

Publicado 29 Abril 2022
Última atualização em 29 Abril 2022

Seja o início de uma empresa, uma atualização do planejamento estratégico ou mesmo o lançamento de um produto ou serviço, tudo isso gera muita insegurança ao empreendedor e sua equipe. A informação é um importante aliado para reduzir essa sensação e, por isso, aprender como fazer análise SWOT vai te ajudar a ter uma visão mais estratégica sobre o cenário que você está enfrentando. 

Quando olhamos para uma empresa é preciso avaliar dois contextos: o interno e o externo.

É exatamente isso que uma análise SWOT propõe: uma avaliação do que está acontecendo no mercado e do que ocorre dentro da empresa. 

Como resultado você tem uma visão mais assertiva do que, dentro de cada um desses mercados, representa perigos ou estímulos para a organização e seus novos projetos. 

As informações geradas na criação de uma análise SWOT auxiliam na tomada de decisões e no direcionamento que deve ser dado às suas ações. 

Afinal, ao identificar uma ameaça sua empresa deve se preparar para enfrentá-la. Logo, parte de seus esforços são direcionados a isso. O mesmo ocorre quando uma força é encontrada: ela deve servir como um caminho para que sua empresa possa avançar. 

Mas, afinal, o que é e como fazer a análise SWOT? Entenda passo a passo e aprenda a aplicar.

O que é Análise SWOT?

A análise SWOT é uma ferramenta de gestão que contribui para a avaliação dos cenários em que uma empresa está inserida. SWOT é a sigla usada para representar os quatro aspectos observados na metodologia: Strengths, Weaknesses, Opportunities e Threats

Em português, cada uma dessas palavras significam: 

  • Forças, 
  • Oportunidades,
  • Fraquezas,
  • Ameaças.

Logo, é comum encontrar empreendedores que usam a sigla FOFA para se referir à SWOT

A metodologia foi criada na década de 1960 por Albert S. Humphrey, durante um projeto do instituto de pesquisa de Stanford, financiado por grandes empresas da época. 

Mas, afinal, o que significam os termos acima? Afinal, o que é força, oportunidade, fraqueza e ameaça, dentro do cenário de negócios?

Para entender isso precisamos dividir em dois grupos: análises do ambiente interno e análises do mercado externo. 

Força

Dentro do ambiente interno estão as forças e as fraquezas da empresa. 

A força está relacionada ao que a empresa tem de diferencial positivo. Quais são os aspectos que podem levar a organização ao sucesso? 

Por exemplo, se a equipe da empresa é composta por profissionais de alto padrão, com amplo know-how, essa pode ser uma força. Se há uma tecnologia própria, difícil de copiar, esse também é mais um exemplo de força. 

Resumindo, força é tudo o que a empresa, internamente, possui de vantagem para enfrentar o mercado.  

Fraqueza

Por outro lado, toda empresa possui suas fraquezas que podem ser representadas por ineficiências várias, como processos lentos, falta de tecnologia na gestão e mais.

Assim como as forças da organização, as fraquezas também são representadas por elementos internos da empresa.

Por exemplo, a falta de capital para investimento em crescimento é um exemplo de fraqueza. 

Se a empresa é nova no mercado, a falta de conhecimento sobre a marca, por parte do público, também é mais um tipo de fraqueza. 

Grandes empresas também possuem fraquezas, por exemplo:

  • alto custo operacional, 
  • gestão burocrática que impede a tomada de decisões rápidas,
  • atendimento ao cliente ineficiente, entre outros. 

Oportunidades

Enquanto forças e fraquezas observam o cenário interno da organização, as oportunidades e ameaças avaliam o mercado externo. 

As oportunidades são aspectos do mercado que contribuem para que a empresa possa avançar. Alguns exemplos de oportunidade são:

  • baixa concorrência no mercado, 
  • vantagens econômicas oferecidas pelo governo, 
  • público consumidor em expansão, entre outras. 

Observe, por exemplo, o mercado de produtos veganos dentro do Brasil. Esse tipo de estilo de vida vem se tornando mais popular entre os brasileiros, do que há alguns anos.

Esse crescimento de mercado e a ampliação do público consumidor é uma oportunidade para uma empresa que deseja lançar uma linha vegana de produtos. 

Ameaça

As ameaças são elementos externos à empresa que, ao contrário das oportunidades, podem prejudicar a organização

Entre os exemplos de ameaças do mercado estão:

  • competidores emergentes, 
  • crise financeira, 
  • mídia negativa sobre o mercado, 
  • mudanças no comportamento do consumidor, entre outros. 

Análise SWOT: como fazer?

Entendido o que é análise SWOT e o que cada uma das palavras que compõem esse conceito representa, seguimos para o passo a passo de como fazer a análise SWOT:

  1. Reúna sua equipe
  2. Faça um levantamento de forças e fraquezas
  3. Observe o mercado e identifique ameaças e oportunidades
  4. Monte a matriz SWOT
  5. Cruze os dados 
  6. Use a ferramenta para tomar decisões

1. Reúna sua equipe 

É possível fazer uma análise sozinho, entretanto, pelo menos em um primeiro momento, reunir a equipe pode se mostrar muito eficiente para encontrar pontos de vista diferentes

Essas variações podem contribuir para a observação de um cenário mais completo, que vai além da visão única do CEO e dos diretores, por exemplo. 

Os profissionais que lidam diariamente com os processos da organização, que estão na linha de frente com os clientes e que gerenciam as equipes têm muito a contribuir para a identificação das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças da empresa, afinal, eles convivem com elas diariamente. 

Por isso, inclua sua equipe na conversa e busque tirar o máximo de informação deles. 

O setor de atendimento ao cliente, por exemplo, tem muito a contribuir ao compartilhar o que observam diariamente ao se relacionarem com os consumidores. 

Afinal, quais são as principais reclamações? Quais os problemas mais comuns enfrentados pelos clientes? O que eles gostariam que a sua equipe oferecesse? E mais.  

2. Faça um levantamento de forças e fraquezas

Depois de um bom brainstorming com a equipe é hora de organizar os principais pontos encontrados pela empresa no que diz respeito ao cenário interno. 

Para tornar essa avaliação ainda mais completa, uma sugestão é que você inclua na análise alguns dos indicadores mais estratégicos para a empresa. 

As métricas coletadas pela organização contribuem para que você tenha uma visão mais objetiva do que acontece dentro de cada setor. 

Ao avaliar dados do CRM de vendas sobre o processo comercial é possível identificar, por exemplo, que o ciclo de venda é muito longo, ou seja, desde que o prospect entra no pipeline de venda até a sua conversão, existe um tempo muito grande. Isso pode representar uma fraqueza que atrasa o crescimento da organização. 

Todos os setores devem possuir indicadores que vão mostrar o nível de eficiência dos processos e dos resultados coletados. 

Por isso, use essas métricas para complementar a avaliação feita pela equipe. 

3. Observe o mercado e identifique ameaças e oportunidades

Listadas as forças e fraquezas é hora de observar o cenário externo. O que o mercado apresenta que pode ser uma oportunidade ou ameaça?

Para isso você precisa estar atento à concorrência e aos movimentos do mercado. 

Uma das formas de criar uma análise SWOT é buscar pelas principais pesquisas que avaliam as tendências do setor em que a sua empresa está inserida e também do mercado de maneira geral. 

A pesquisa da Euromonitor sobre as principais tendências de consumo de 2022 identifica a entrada dos idosos no ambiente digital como algo muito crescente para os próximos meses. Essa pode ser uma grande oportunidade para alguns negócios.

Sem acesso a esse tipo de pesquisa você terá mais dificuldade de encontrar reais oportunidades e pode acabar ficando no lugar comum, sem uma visão de mercado apurada e real. 

Para avaliar ameaças, esteja de olho nas mudanças políticas, fiscais e de regulação dentro do seu setor. 

Observe a concorrência, desde o tamanho dela até a evolução de cada empresa.

Vale lembrar que pesquisas como a citada acima, também ajudam na avaliação das forças e fraquezas da empresa. Por exemplo, se há um movimento para a digitalização dos processos das empresas do seu setor, e a sua organização ainda atua muito no manual, essa pode ser uma fraqueza a ser trabalhada.

4. Monte a matriz SWOT

A matriz SWOT da empresa é a organização dos elementos analisados em quadrantes, como mostra a imagem abaixo.

Não é necessário, nem indicado, que haja uma lista muito extensa dentro de cada quadrante. Selecione, entre tudo o que foi encontrado, quais são os aspectos principais dentro de cada um dos quatro aspectos analisados: força, fraqueza, oportunidade e ameaça. 

A análise FOFA ou SWOT deve ser criada para apresentar de forma visual os principais desafios da empresa e as suas brechas de crescimento. 

Além disso, ela deve ser usada para criar planos de ação que vão permitir minimizar fraquezas e ameaças e ampliar forças e oportunidades. 

Se existe uma lista extensa de cada um desses elementos, o foco da organização pode se perder. 

Por isso, é fundamental priorizar, dentro de cada quadrante, o que é mais relevante para o período que será iniciado. 

5. Cruze os dados 

Ainda neste artigo vamos falar sobre como fazer análise SWOT cruzada. Ela representa o uso estratégico da ferramenta, a partir do cruzamento de dados entre os quadrantes. Entretanto, essa etapa precisa estar listada no processo de como fazer uma análise SWOT inteligente.

O objetivo do cruzamento dos dados da matriz SWOT da empresa é fazer com que a organização trace ações ainda mais relevantes para o aproveitamento dos pontos positivos e neutralização dos pontos negativos já identificados. 

Em resumo, forças e oportunidades podem ser usadas para neutralizar fraquezas e ameaças

Isso quer dizer que aprender como fazer a análise SWOT permite que, além de avaliar cada aspecto individualmente e agir para solucioná-los, ações possam ser criadas em conjunto, aproveitando o que há de melhor dentro da organização para solucionar o que há de mais fraco. 

Para que você possa compreender melhor como fazer análise SWOT cruzada continue lendo este artigo, porque adiante falaremos mais sobre o assunto. 

6. Use a ferramenta para tomar decisões

Sem dúvidas, aprender como fazer a análise SWOT envolve o uso estratégico das informações levantadas. 

Entre as aplicações desse tipo de matriz está o uso de cada informação para a tomada de decisões, direcionando a empresa para aproveitar os aspectos positivos e reduzir os aspectos negativos. 

Junto com os indicadores da empresa, e métricas de cada setor, a análise SWOT contribui para a tomada de decisão objetiva, com menos achismos e mais dados para o direcionamento correto do negócio. 

Como fazer análise SWOT cruzada?

Como apresentamos rapidamente acima, aprender a fazer o cruzamento da matriz SWOT vai contribuir para que a empresa possa combinar os pontos positivos e negativos e agir para ter os melhores resultados, a partir do uso estratégico de cada aspecto. 

Logo, a SWOT cruzada funciona como forma de definir as estratégias que serão criadas para melhorar o desempenho da empresa.

Em suma, a análise SWOT cruzada tem uma característica mais prática na busca por um plano de ação que envolva o uso estratégico das informações coletadas. 

Confira a seguir, quatro opções de cruzamentos a serem feitos: 

  • Cruzamento ofensivo: reúne as forças e oportunidades da empresa para que possam ser usadas na potencialização do negócio, a partir de um plano de ação que envolva os principais pontos positivos da organização. Esse cruzamento permite que a empresa aproveite esses elementos em busca de crescimento rápido e efetivo,
  • Cruzamento confrontativo: reúne forças e ameaças, de forma que os aspectos internos positivos possam ser usados para neutralizar ou reduzir o impacto dos aspectos negativos externos, evitando que eles atrapalhem o desempenho da empresa,
  • Cruzamento de reforço: reúne as fraquezas e as oportunidades, e tem como objetivo usar o que o mercado oferece de positivo para que a empresa possa solucionar as fraquezas da organização, 
  • Cruzamento defensivo: reúne fraquezas e ameaças com o objetivo de criar um plano de ação para a proteção da organização. Ao avaliar os dois aspectos negativos da matriz SWOT a empresa conhece todas as suas principais vulnerabilidades e deve criar um conjunto de ações para se defender do impacto negativo de cada área. 

Agora você já sabe como fazer uma análise SWOT e como usá-la estrategicamente para fazer sua empresa se desenvolver. 

Ao conhecer cada um dos aspectos que apresentamos aqui, a empresa tem mais informação para agir estrategicamente em busca de aproveitar melhor seus aspectos positivos e reduzir o impacto dos negativos. 

Lembre-se sempre de considerar a tecnologia em todas as etapas da gestão do seu negócio, seja para coletar informações que vão te ajudar a definir seus pontos fortes e fracos ou para tornar os processos da sua empresa parte da sua força. 

Conheça a Zendesk e as suas soluções de software de atendimento ao cliente  e CRM de vendas para tornar seus processos mais eficientes e estimular o seu crescimento

Acesse nossa página, inicie uma avaliação gratuita e conheça mais sobre nossos recursos. 

Software de suporte ao cliente

O software de suporte ao cliente da Zendesk é fácil de usar e oferece uma melhor experiência de atendimento.

Software de suporte ao cliente

O software de suporte ao cliente da Zendesk é fácil de usar e oferece uma melhor experiência de atendimento.

Experimente grátis