Artigo

5 dicas práticas de como lidar com críticas no trabalho

Por Douglas da Silva, Web Content & SEO Associate, LATAM

Publicado 26 julho 2021
Última atualização em 26 julho 2021

Saber como lidar com críticas pode melhorar a sua relação com a empresa e beneficiar a sua performance. Isso é apontado em um estudo realizado pelo pesquisador S.K. Schiemank, doutor em medicina de reabilitação.

A investigação também conclui que as críticas desempenham um papel fundamental na modelagem das emoções e dos comportamentos das pessoas. 

Encarar feedbacks de maneira adequada se torna ainda mais importante por conta da modelagem. Afinal, a compreensão de que as críticas podem te moldar, possibilita que o foco seja voltado aos aprendizados positivos.

Quer saber mais sobre o assunto? Neste texto, listamos cinco dicas de como lidar com críticas no trabalho. Confira:

  • Evite reações impulsivas
  • Exerça uma escuta ativa
  • Reflita sobre o que foi dito
  • Tome a atitude de melhorar
  • Desenvolva inteligência emocional

5 dicas de como lidar com críticas: explicação detalhada

1. Evite reações impulsivas

A primeira reação da maioria das pessoas a uma crítica é se colocar na defensiva e procurar respostas, seja pedindo desculpas, justificando ou retrucando.

Essa atitude inicial é o fator que, geralmente, complica todo o processo de como lidar com críticas. Buscar maneiras de revidar impede que você faça uma análise adequada da situação.

Portanto, o primeiro passo de como lidar com críticas é evitar reações impulsivas. Além disso, relembrar a importância do feedback também é um bom caminho, porque você passa a ter outro olhar sobre o que foi apontado.

Ao controlar suas emoções e ver a crítica por uma perspectiva positiva, fica mais fácil escutar verdadeiramente as ponderações que o outro está fazendo.

Confira também: Satisfação de clientes: o que é e o que ela significa para uma empresa?

2. Exerça uma escuta ativa

Ouvir  com atenção e honestidade é indispensável para entender as críticas que estão sendo feitas. Contudo, o ideal é ir além e exercer uma escuta ativa.

Mas o que isso significa? Após a pessoa apresentar todos os pontos que deseja, procure fazer perguntas que esclareçam o feedback.

Um ponto de atenção aqui: apenas traga os questionamentos depois da pessoa falar, evite interrompê-la, pois isso pode parecer uma reatividade ao que foi dito.

Além disso, tome cuidado com a formulação das perguntas. O objetivo é entender com precisão as questões apresentadas e, não, invalidá-las. Veja um exemplo de como formular os questionamentos:

  • como falar: “eu tenho essa postura com frequência?” (uma boa maneira de entender se o ocorrido é algo isolado ou frequente);
  • como não falar: “quando e quantas vezes você me viu com essa postura?” (pode parecer uma tentativa de mostrar que a pessoa está errada).

Por fim, vale destacar que não necessariamente é preciso perguntar caso não haja dúvidas, assim como as perguntas não precisam ser expostas logo após o feedback.

Neste último cenário, tire um tempo para refletir e analisar se existem pontos que podem ser trabalhados de forma mais detalhada. Se sim, procure levantar as dúvidas em uma próxima conversa.

Entenda mais sobre o poder da escuta ativa com a fala da Tati Brandão, analista comportamental e mentora de líderes, no TEDxPedradoSal:

3. Reflita sobre o que foi dito

Pegando o gancho do tópico anterior, refletir sobre a conversa é parte essencial de como lidar com críticas. A partir da reflexão, você conseguirá identificar se a crítica foi construtiva ou destrutiva. Por isso, é importante escutar com atenção e compreender todos os detalhes.

Primeiramente, reflita sobre a sua relação com a pessoa que trouxe o feedback. É alguém que já mostrou se importar com você em outros momentos?

Em seguida, pense sobre os pontos apresentados. Avalie a sua perspectiva sobre as situações de maneira objetiva. Dessa forma, será possível entender se você realmente estava deixando de perceber algo que pode ser melhorado.

Por último, tire as suas conclusões. Após as reflexões, você pode concluir que a crítica tem motivos sérios e que foi feita para o seu bem. Ou pode perceber que ela não tem fundamentos e foi feita com um cunho negativo.

4. Tome a atitude de melhorar

Se a crítica foi destrutiva, o melhor a se fazer é deixá-la de lado e seguir adiante. Afinal, não há melhorias e reflexões positivas que possam ser retiradas dela. Nem mesmo vale a pena trazer o assunto em outra conversa, pois isso não agregará em nada.

No caso de a crítica ter sido construtiva, é vital planejar formas para que você melhore em relação ao que foi apresentado.

Inclusive, é uma ótima ideia pedir ajuda à pessoa que deu o feedback. Em conjunto, vocês podem pensar em estratégias para aprimorar o que foi apontado.

Leia também: Gestão 360 graus: a estratégia que otimiza os resultados de uma empresa

5. Desenvolva inteligência emocional

Por fim, precisamos destacar a importância do desenvolvimento da sua inteligência emocional. Essa capacidade é primordial para que você consiga aplicar as dicas anteriores.

E o que é isso? Resumidamente, inteligência emocional é a habilidade de reconhecer como as emoções influenciam as suas decisões, competências e relações. Assim, é possível administrá-las da maneira mais adequada.

Com essa explicação, fica claro que é algo indispensável para não ficar na defensiva, bem como para escutar e analisar os fatos com objetividade.

Mas como desenvolver a inteligência emocional? Não tem segredo, o caminho é trabalhar o autoconhecimento. Você precisa criar o hábito de tirar um tempo para si e pensar sobre como as emoções atuam em seu dia a dia, avaliando quais gatilhos as desencadeiam.

A partir dessas reflexões, será possível entender como os seus sentimentos se manifestam em diferentes cenários e situações. Consequentemente, isso te ajudará a controlá-los da forma desejada.

Conheça seis passos que podem ajudar no desenvolvimento da sua inteligência emocional com a fala da escritora Ramona Hacker no TEDxTUM:

Como lidar com clientes insatisfeitos?

Saber como dar as melhores respostas aos clientes insatisfeitos é fundamental para conseguir reverter a experiência negativa.

Essa atitude é essencial para melhorar a retenção de consumidores, como mostram os dados apresentados no relatório de Tendências da Experiência do Cliente de 2021 da Zendesk:

  • 50% dos clientes mudarão para um concorrente após uma experiência ruim;
  • 80% mudarão para um concorrente após mais de uma experiência ruim;
  • 75% estão dispostos a gastar mais para comprar de empresas que proporcionam uma boa experiência.

O nosso software de suporte ao cliente te oferece os recursos necessários para dar as melhores respostas aos clientes insatisfeitos e aprimorar a sua experiência de atendimento. Assim, você evita que eles procurem concorrentes e garante mais compras.

Reconhecendo que cada interação com o cliente é parte de uma conversa contínua, os produtos da Zendesk ajudam as empresas a criar uma conversa contextual nos canais de sua preferência, incluindo mensagens, chat, e-mail, telefone e tudo mais.

As nossas soluções lhe interessaram, mas você quer conhecê-las melhor? Veja uma demonstração do software ou comece a sua avaliação gratuita!

Software de suporte ao cliente

O software de suporte ao cliente da Zendesk é fácil de usar e oferece uma melhor experiência de atendimento.