Artigo

Aprendizagem ao longo da vida: como funciona e importância

Por Douglas da Silva, Web Content & SEO Associate, LATAM

Publicado 20 outubro 2021
Última atualização em 20 outubro 2021

Diante de um mercado cada vez mais competitivo, investir na aprendizagem ao longo da vida pode ser determinante para o sucesso em sua carreira. E não só isso: as empresas também têm muito a ganhar com colaboradores capacitados e atualizados. 

Hoje apenas o conhecimento da graduação não é suficiente. É claro que é muito importante ter uma formação profissional, mas não faz mais sentido encerrar os estudos ao término da graduação. 

Em um mundo VUCA (sigla para Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade), com tudo se atualizando rapidamente, buscar aprender continuamente permite que você se mantenha alinhado às demandas da sua área de atuação e do mundo de modo geral. 

A cultura da formação contínua faz sentido tanto para o âmbito pessoal quanto para o profissional, e não está atrelada apenas aos métodos convencionais de ensino. Com tantos recursos à disposição, como a internet, vídeos, cursos online e podcasts, por exemplo, é possível se dedicar aos estudos a qualquer hora e em qualquer lugar.

Diante da relevância do assunto, vamos te mostrar neste artigo todos os detalhes sobre o conceito de aprendizagem ao longo da vida. 

Continue lendo!

O que é aprendizagem ao longo da vida? 

A aprendizagem ao longo da vida também pode ser chamada educação continuada ou lifelong learning, e trata da aquisição contínua de conhecimento e aperfeiçoamento no decorrer de toda a vida.

O fato é que, para garantir a manutenção da qualificação, é preciso aprender e se atualizar constantemente, não apenas durante períodos específicos, como a escola, a graduação ou uma especialização pontual. 

Por isso, o objetivo do lifelong learning é incentivar a continuidade dos estudos. Contudo, a questão não é sobre aumentar as horas dedicadas à formação, mas sim estimular o interesse pelos estudos no indivíduo. 

Isso significa que a vontade de aprender precisa partir da pessoa, em um movimento “de dentro para fora”, e não de maneira forçada. O processo deve ser uma escolha pessoal, pois só assim realmente provocará uma mudança.

Tendo em vista a competitividade do mercado, ser um profissional qualificado, preparado e atualizado se tornou praticamente algo intrínseco à carreira. Por outro lado, as empresas buscam por colaboradores com o perfil de interesse perene por estudos e aperfeiçoamento, por isso a aprendizagem ao longo da vida é tão importante.

Vale reforçar que o conceito de aprendizagem ao longo da vida não diminui a relevância dos estudos tradicionais e formais, como a graduação. Muito pelo contrário: é um incentivo para as pessoas continuarem aprendendo por meio de cursos e atividades extracurriculares para se manterem atualizadas e qualificadas.

Os quatro pilares da aprendizagem ao longo da vida

De acordo com a organização Lifelong Learning Council Queensland (LLCQ), os quatro pilares do lifelong learning são:

  • aprender a conhecer;
  • aprender a fazer;
  • aprender a conviver;
  • aprender a ser.

Saiba mais sobre cada um deles a seguir. 

Aprender a conhecer

O pilar “learning to know” está relacionado ao domínio de ferramentas de aprendizagem e interesse genuíno por adquirir novos conhecimentos

A proposta é que a jornada de aprendizagem seja feita com questionamentos e reflexões, assim como desperte prazer e curiosidade. 

Aprender a fazer

“Learning to do” é o pilar para preparar as pessoas para futuras oportunidades de trabalho. 

O foco é desenvolver habilidades comportamentais, como a capacidade de se adaptar ao novo, trabalhar em equipe, se comunicar bem, ter inteligência emocional, dentre outros.

Aprender a conviver

O pilar “learning to live together, and with others” é sobre saber lidar e interagir com outras pessoas e culturas, e resolver conflitos. 

A partir do convívio com o outro, é possível trocar experiências e aprender com elas. 

Aprender a ser

Por fim, “learning to be” é o pilar sobre a contribuição da educação para o desenvolvimento completo de um indivíduo: mente e corpo, inteligência, espiritualidade e afins. 

Vantagens das competências de aprendizagem ao longo da vida

Uma pessoa que decide se dedicar ao lifelong learning obtém uma série de vantagens proporcionadas pelas competências desse método. Dentre as principais, destaque para: 

  • desenvolvimento e aperfeiçoamento de habilidades;
  • acompanhamento dos movimentos do mercado;
  • fomento à criatividade;
  • acesso a novas oportunidades de trabalho.

Veja abaixo os detalhes de cada uma delas.

Desenvolvimento e aperfeiçoamento de habilidades 

O aprendizado contínuo permite não apenas desenvolver novas habilidades, mas também aperfeiçoar as já existentes e que apenas precisam ser “lapidadas”. 

Inclusive, o processo de aprendizagem evidencia quanto sabemos “pouco” sobre qualquer assunto, por isso é algo intermitente: sempre há algo novo a se aprender.

Acompanhamento dos movimentos do mercado

A premissa de que um diploma é um atestado de conhecimento para a vida toda já não existe mais. A formação técnica tem um grande valor, mas a atualização e a capacitação recorrentes são tão importantes quanto. 

Assim, para atender às demandas de um mercado em constante transformação, é imprescindível aprender continuamente. 

Fomento à criatividade 

Estimular a mente a conhecer novos caminhos e soluções permite desenvolver a criatividade. 

Ao fazer apenas mais do mesmo, o cérebro trabalha sempre com as mesmas referências, o que muda completamente ao aprender novos conceitos, técnicas e habilidades.

Acesso a novas oportunidades de trabalho 

As empresas valorizam profissionais que investem em sua capacitação, pois isso mostra que eles têm interesse verdadeiro em aprender mais e se manterem atualizados. 

E, claro, ao aprender competências mais técnicas, você constrói as bases de conhecimento necessárias para estar apto a determinados cargos e abrir portas para novas oportunidades de trabalho.

O que fazer para desenvolver o lifelong learning na vida?

O processo de aprendizagem é muito individual, mas alguns passos podem te ajudar a tornar a aprendizagem ao longo da vida algo natural para você. 

Veja nos tópicos a seguir.

Comece agora: muitas vezes, as pessoas abdicam de se dedicar aos estudos porque não consideram que o momento seja o mais adequado. Contudo, a melhor hora para aprender é agora, então não deixe para depois.

Inspire-se em quem já é adepto à metodologia: os estímulos externos ajudam a manter o foco naquilo que você deseja, então busque por referências e veja o que as pessoas fazem para aprender continuamente. 

Reflita sobre seus interesses: estudar sobre assuntos que você realmente gosta e fazem sentido para a sua vida e carreira faz toda a diferença para manter o empenho no processo.

Tenha boas fontes de estudo: hoje é possível aprender tudo em qualquer lugar, mas é fundamental pesquisar se quem está ministrando o tema realmente tem propriedade e conhecimento para explicar o assunto. 

Determine um objetivo para sua aprendizagem: é claro que aprender algo novo sempre vai agregar algum valor à sua vida pessoal e profissional. Porém, para perseverar no caminho da educação contínua, é fundamental ter um objetivo claro para o que você está fazendo. 

Desenvolva o hábito dos estudos: os estudos também são um hábito, especialmente em se tratando da aprendizagem ao longo da vida. Faça disso uma rotina, pratique sempre e, com o tempo, a formação se tornará natural. 

Aproveite e confira o TEDx abaixo com o depoimento de Maia Reed, estudante de Business e Marketing, sobre o que é ser uma “life-long learner”:

Importância da aprendizagem ao longo da vida para empresas

Não são apenas os indivíduos que se beneficiam da formação contínua: as instituições também têm muito a ganhar investindo nessa metodologia. 

Dentre os benefícios da aprendizagem ao longo da vida está o aumento da produtividade. Afinal, com conhecimento e repertório atualizados, uma pessoa terá mais mais agilidade para contornar um desafio e resolvê-lo com eficiência.

Outro ponto é uma maior vantagem competitiva à empresa, visto que ela passará a ter colaboradores mais capacitados. A consequência disso será o alcance de melhores resultados e destaque frente aos concorrentes.

Há ainda o aumento da criatividade, já citado anteriormente, porque todos passam a ter mais referências e podem contribuir com ideias inovadoras para os projetos da companhia. 

A formação contínua também cria um ambiente de trabalho mais dinâmico, pois todos passam a compartilhar conhecimento entre si e crescem juntos. O time se mantém motivado, as pessoas buscam por novas soluções e um incentiva o outro a se aprimorar cada vez mais. 

Como aplicar a formação contínua em uma companhia? 6 dicas

Para incentivar o aprendizado contínuo na empresa, considere seguir as dicas abaixo:

  1. defina o propósito do processo de aprendizagem;
  2. estruture os treinamentos;
  3. ofereça incentivo aos estudos;
  4. foque tanto em hard skills quanto em soft skills;
  5. invista em programas voltados a líderes;
  6. crie uma cultura de aprendizagem.

Explicaremos cada uma das dicas a seguir.

1. Defina o propósito do processo de aprendizagem

O campo do conhecimento é vasto, então é preciso focar em áreas específicas para desenvolver a aprendizagem. O ideal é optar pelos caminhos mais alinhados às metas e objetivos da empresa

Por exemplo, uma instituição que está implementando a metodologia ágil de trabalho deve capacitar seus colaboradores para atuarem nesse modelo. 

2. Estruture os treinamentos 

Caso a instituição fique responsável por criar os treinamentos, é relevante definir alguns pontos sobre eles, como:

  • tema; 
  • objetivo;
  • duração; 
  • público-alvo;
  • estrutura das aulas;
  • formato do conteúdo; 
  • responsáveis por ministrar as aulas. 

Tudo isso envolve muito planejamento e requer diversas pessoas dedicadas aos treinamentos, então tenha em mente que é um processo que pode levar alguns meses para ser finalizado. 

Também é importante ressaltar a importância de utilizar fontes confiáveis como referência para os treinamentos. Certifique-se de que as pessoas, sejam elas internas ou externas, têm propriedade para ensinar o assunto e que a base teórica é sólida. 

3. Ofereça incentivo aos estudos

Mesmo que sua empresa não possa proporcionar cursos e treinamentos internos, uma alternativa é incentivar os estudos dos colaboradores por meio de um benefício financeiro. 

Os cursos devem atender às necessidades tanto dos profissionais quanto do mercado de trabalho. Um aspecto deve ser complementar ao outro, assim todos evoluem juntos.

Inclusive, uma pessoa não precisa aprender apenas por meio de cursos: vídeos, livros, podcasts e afins também são excelentes fontes de conhecimento. 

4. Foque tanto em hard skills quanto em soft skills

Hard skills são as competências técnicas, como ter conhecimento em estratégias de vendas, enquanto as soft skill são habilidades socioemocionais, como a escuta ativa.

A qualificação específica para saber resolver as demandas do cargo é fundamental, mas habilidades como saber trabalhar em equipe, relacionamento interpessoal, empatia, comunicação, resiliência e organização também são essenciais.

Um estudo feito pelo PageGroup mostra que a inteligência emocional é a soft skill mais buscada pelos recrutadores no pós-pandemia. Ela fica em primeiro lugar com 42,9%, seguida pelo trabalho em equipe (38,4%) e a comunicação assertiva (31,1%).

5. Invista em programas voltados a líderes

Programas de formação e atualização de líderes também são essenciais para o desenvolvimento do aprendizado contínuo na empresa. 

Dessa forma, os profissionais com interesse em cargos de chefia podem ser treinados na própria organização e ser estimulados a aprimorar sua capacitação profissional. 

Além disso, aqueles que já são líderes se mantêm atualizados em relação às novas práticas do mercado e da instituição, o que é altamente benéfico para a retenção de talentos — líderes e subordinados. 

6. Crie uma cultura de aprendizagem

Os colaboradores precisam ver valor na aquisição do conhecimento e entender qual é o impacto da formação contínua em suas vidas e carreiras. Para isso, a empresa deve criar uma cultura organizacional que estimule a aprendizagem ao longo da vida, seja dentro ou fora da instituição. 

Os profissionais passarão a ser mais qualificados, se engajarão mais nos desafios do negócio, vão poder propor ideias mais sólidas e criativas em projetos, e compartilhar conhecimento com seus pares. 

Sabia que o software de suporte ao cliente da Zendesk tem uma base de conhecimento que pode ser utilizada tanto pelos clientes quanto pelos agentes? 

Com a ferramenta, é possível capacitar a equipe para manter o conhecimento relevante, atualizado e útil para todos. 

Software de suporte ao cliente

O software de suporte ao cliente da Zendesk é fácil de usar e oferece uma melhor experiência de atendimento.