Artigo | 10 min read

Planejamento estratégico, tático e operacional: guia prático COMPLETO!

Por Zendesk

Última atualização em 23 Mai 2023

Nenhuma empresa sobrevive sem um bom planejamento estratégico, tático e operacional. Afinal, é impossível atingir os objetivos sem antes definir o que será feito, quais ações serão realizadas e monitorar o desenrolar disso no dia a dia, certo?

Aliás, esses três planos podem até parecer bem diferentes na prática — e são mesmo. Porém, eles precisam ser feitos em conjunto, já que um depende do funcionamento do outro para dar certo.

Ficou curioso para aprender mais? Então você veio ao lugar certo, porque no artigo a seguir nós explicamos:

  • o que é planejamento estratégico; 
  • o que é planejamento tático; 
  • o que é planejamento operacional; 
  • quais as vantagens de planejar bem suas ações; 
  • como elaborar uma estratégia efetiva.

Continue lendo para conferir!

Quais as diferenças entre planejamento estratégico, tático e operacional?

A principal diferença entre planejamento estratégico, tático e operacional é o prazo para atingir os objetivos de cada um e a maneira como isso será feito. Enquanto o primeiro foca no que deve ser feito a longo prazo, o segundo visa definir as ações necessárias e o último monitora as atividades do dia a dia para alcançar as metas estabelecidas.

Para ficar mais claro, confira a definição completa de cada um desses tipos de planejamento a seguir!

O que é planejamento estratégico?

O planejamento passa pela análise do cenário atual do mercado e da empresa, para, em seguida, realizar uma projeção do futuro da companhia. Ou seja, como ela estará em alguns anos. 

Nesse sentido, os objetivos estratégicos são a direção que o negócio seguirá. Por exemplo, crescer 15% em 5 anos. Para realizar um bom planejamento do gênero, é imprescindível responder às seguintes questões.

  • Quem é a empresa?
  • O que a companhia faz?
  • Por que ela atua no segmento atual?
  • Onde o negócio quer chegar no futuro?
  • Quais são os valores da organização?

Essas perguntas direcionam o planejamento estratégico para o caminho certo, ao alinhar as metas e ações aos valores e desejos da empresa.

>>>> Veja mais: etapas do planejamento estratégico — guia prático + dicas

O que é planejamento tático?

Já o planejamento tático tem como foco as ações de médio prazo. Em outros termos, ele mira o que precisa ser feito para alcançar os objetivos traçados no planejamento estratégico. 

Sendo assim, ele é um meio para atingir uma meta, descrito de maneira detalhada e dividido por etapas e em um período menor. Ele possibilita transformar o que você pensou, em realidade. 

Um objetivo prático pode ser, reduzir o prazo de entrega para os clientes ou melhorar o atendimento ao público, por exemplo. Dito isso, ao elaborar os objetivos práticos, responda a estas perguntas simples.

  • O que será feito?
  • As ações são viáveis?
  • Quanto elas custarão?
  • Elas trarão resultados?
  • Quando a estratégia será posta em prática e qual será o prazo para finalização?

>>>> Aproveite e leia: como melhorar o atendimento ao cliente pode aumentar receitas ou reduzir os custos para sua empresa?

O que é planejamento operacional?

Por último, o planejamento operacional está mais relacionado ao dia a dia. Ele visa monitorar a execução das ações definidas nos tópicos anteriores, para garantir que elas sejam finalizadas dentro dos prazos estabelecidos. Por isso, costuma ser mais curto, devendo ser revisado frequentemente. 

Alguns exemplos de objetivos operacionais são investir em um software para melhorar o atendimento ao cliente ou aumentar a equipe responsável por esse setor. Esta etapa depende das seguintes questões. 

  • Como as ações serão realizadas?
  • Quem será responsável por cada atividade?
  • Em quanto tempo elas devem ser cumpridas?
  • O que será necessário (recursos e ferramentas)?
  • De quanto será o investimento financeiro?

Ao responder essas questões, você pode perceber que todo o processo flui naturalmente. Destacamos que o planejamento estratégico depende inteiramente dos dois anteriores, viu? Isso porque eles estão interligados. 

Por esse motivo, os três são cruciais para uma boa gestão empresarial e não devem ser negligenciados. 

>>>> Veja também: planejamento de vendas — como dominar a técnica e criar o melhor

Qual a importância de um bom planejamento na gestão empresarial?

Como falamos, os três tipos de planejamento andam “de mãos dadas” e, quando bem executados, podem trazer os seguintes benefícios para as organizações:

1. Otimização da gestão

Um bom planejamento estratégico, tático e operacional faz maravilhas pela otimização da gestão de uma empresa. Isso porque ele define as ações necessárias para realizar o ajuste interno.

Com isso, a companhia consegue alinhar sua cultura organizacional, melhorar o relacionamento e comunicação com os colaboradores e aumentar a produtividade em geral, criando processos otimizados. 

Aliado a isso, podemos citar o aumento da retenção de talentos e melhoria do clima organizacional. 

2. Agilidade dos processos

Imagine gerir uma empresa sem ter objetivos claros? Esse não apenas parece, como é um cenário praticamente impossível de dar certo. Portanto, é crucial descrever não apenas as ações, mas também qual colaborador é responsável por cada etapa e monitorar os resultados. 

Assim, você garante que todos da empresa estão “na mesma página”, evitando confusões e atrasos no cronograma. Além do mais, um planejamento eficiente percebe áreas que precisam ser otimizadas, para que funcionem da maneira correta e define ações para otimizar o dia a dia da equipe. 

3. Alinhamento dos objetivos 

Todos os membros da empresa precisam ter em mente os mesmos objetivos, para trabalharem em conjunto em busca deles. E é justamente isso que uma boa estratégia de planejamento faz, deixa claro o que a companhia deseja atingir e o que precisa ser feito. 

Deixar esse ponto claro, faz com que a equipe se sinta incluída nas decisões. Assim, há um aumento do engajamento e, consequentemente, da produtividade e satisfação dos envolvidos no processo. 

Imagine uma brincadeira de cabo de guerra. Para que um time vença, é preciso que todos os participantes puxem a corda para o mesmo lado, certo? Uma organização funciona da mesma maneira, todos devem trabalhar em prol de um objetivo em comum.

4. Redução dos riscos 

Por último, elaborar o planejamento estratégico, tático e operacional ajuda a identificar melhores oportunidades de investimento e ainda antecipa os riscos futuros. Durante a criação dessa ferramenta, é preciso estudar bastante o mercado e nicho da empresa.

A partir disso, pode-se identificar tendências de crescimento ou queda e já agir de acordo, para minimizar os riscos de perda. 

Pense na pandemia de Covid-19, as companhias que perceberam o cenário antecipadamente, conseguiram se adaptar para mudar seus canais de venda e, conseguinte, perderam menos dinheiro. Ficou claro?

Ademais, gestores que perceberam o crescimento dos serviços de venda online, antes disso se tornar a norma, puderam se preparar previamente para atender a alta demanda e atraíram mais clientes.

Como elaborar um planejamento estratégico, tático e operacional em 5 passos?

Está preparado para aprender como elaborar um planejamento estratégico, tático e operacional e melhorar sua gestão empresarial? Então siga com a leitura para ver 5 dicas de como fazer isso de forma eficiente!

1. Analise a situação da empresa e do mercado

O primeiro passo — e um dos mais importantes — é analisar a situação da empresa e do mercado. Isso é, verificar como a companhia se mantém e qual a taxa de crescimento do nicho que ela está inserida. 

Essas duas simples ações permitem descobrir o que precisa ser feito, ao apresentar um possível cenário para o futuro. Por exemplo, ao estudar o mercado, você percebeu que uma determinada área vem aumentando o número de investimentos na sua região. 

Partindo daí, você pode traçar estratégias para criar — ou aumentar — esse segmento do seu negócio, porque percebeu que isso tem potencial de trazer um retorno no futuro. 

2. Defina os objetivos 

Já imaginou entrar em um avião qualquer, sem saber para onde ele vai? É um pouco assustador, certo? Pois é isso que acontece com uma empresa sem objetivos. Ela fica como um barco à deriva e sem remos, apenas seguindo a corrente, que nem sempre a leva para um lugar agradável. 

Uma boa dica aqui é usar a estabelecer metas e objetivos SMART. Essa palavra é um acrônimo, que teria sido criado por Peter Drucker, e estabelece parâmetros para criar metas correspondentes à realidade da empresa. 

Basicamente, essa técnica diz que um objetivo precisa ser:

  • S (Specific): específico; 
  • M (Measurable): mensurável; 
  • A (Attainable): alcançável; 
  • R (relevant): relevante;
  • T (time-based): ter um prazo. 

Só assim, é possível alcançar resultados concretos e duradouros. 

>>>> Veja mais: técnica SMART — 6 passos para definir suas metas

3. Determine as ações necessárias 

Após definir suas metas e objetivos SMART, foque em descrever quais ações são necessárias para alcançá-los. Essa é a parte que cai no escopo do que é planejamento tático e é crucial para o bom resultado da estratégia. 

Lembre-se: sempre coloque ações relacionadas às metas, o que pode incluir um maior investimento em um setor, compra de um software ou cursos, para capacitar os colaboradores. 

4. Estabeleça um prazo 

O próximo passo é estabelecer um prazo para o cumprimento das ações. Nessa etapa, seja realista e defina um espaço de tempo para cada passo do planejamento estratégico, tático e operacional. 

Portanto, fique atento às características de cada. Por exemplo, o planejamento estratégico deve ser mais longo, enquanto o operacional é mais curto. 

Essa ação garante a boa execução da programação, garantindo que as equipes saibam quanto tempo possuem para finalizar cada atividade e se preparem melhor para cumprir os prazos.

No mais, você evita atrasos, que podem prejudicar o andamento do trabalho e ainda consegue seguir para a próxima etapa sem dores de cabeça. 

5. Monitore os resultados 

Por último, não se esqueça de monitorar os resultados das suas ações. Afinal, como saber se algo foi feito, se não acompanhar de perto os responsáveis? Em vista disso, mantenha o controle sobre cada atividade e o responsável por ela. 

Caso perceba algum atraso, converse com as equipes para descobrir o que aconteceu e, assim, definir o melhor curso de ação para concluir a tarefa em tempo hábil. No final de tudo, monte um relatório com os dados que compilou durante o processo e divulgue para todos da companhia. 

Principais erros ao elaborar um planejamento estratégico, tático e operacional 

Os erros mais comuns dos gestores ao montar um planejamento estratégico, tático e operacional são:

  • não divulgar as ações; 
  • esquecer de monitorar a execução do planejamento; 
  • deixar de definir objetivos e metas; 
  • achar que os colaboradores não precisam ser envolvidos nas decisões; 
  • ignorar alguma das etapas que listamos no tópico anterior. 

Tudo isso costuma acontecer com frequência. Entretanto, saber quais são os erros mais comuns permite que você os evite e, assim, garanta que seu planejamento estratégico, tático e operacional corra sem problemas e crie processos otimizados e que são a cara do seu negócio!

Quer algumas dicas do que colocar no seu plano de ação? Então aproveite para dar uma olhada no relatório de tendências de atendimento ao cliente da Zendesk!

Nele, você encontra tudo o que há de mais novo na área e quais são as expectativas das empresas e dos consumidores para o futuro. E o melhor de tudo, ele é GRÁTIS! É só se cadastrar e baixar!

" alt="">

Comece agora

Comece agora

Baixar
" alt="">