Artigo

O que é cultura ágil e como elas transformam os valores de uma empresa?

Por Douglas da Silva, Web Content & SEO Associate, LATAM

Publicado 14 outubro 2021
Última atualização em 14 outubro 2021

A cultura ágil é uma abordagem que valoriza a contribuição de ideias, e empresas que utilizam essa metodologia em seus sistemas tendem a construir organizações velozes e estáveis, com profissionais adaptáveis e eficientes.

Os valores da cultura ágil estão ligados à   percepção de valores, controle, e, ao mesmo tempo, estimulam   a criatividade e a  individualidade. Tantos diferenciais tornam essa metodologia muito mais atrativa que um método tradicional, focado apenas em seguir um plano inicial.

Ser ágil não está relacionado apenas à  entrega rápida de resultados. nNa verdade, essa metodologia está ligada à  capacidade de adaptação da empresa e às necessidades do consumidor.

Para que você entenda como esse conceito pode mudar os resultados do seu negócio e tornar sua equipe mais colaborativa, continue a leitura.

O que é cultura ágil?

A cultura ágil é um novo modelo de gestão, criado com base na colaboração e cooperação entre as equipes, no intuito de reduzir a autocracia, o controle e a burocracia nos processos produtivos.

Essa filosofia está diretamente ligada à cultura da empresa, e envolve mudanças na visão e nos valores do empreendimento, tornando os processos mais dinâmicos por acreditar no potencial individual de cada colaborador. 

Na prática, a cultura ágil alinha os comportamentos, processos e decisões, para tornar a resolução dos problemas mais rápida, deixando de lado os valores limitantes que prejudicam o crescimento do empreendimento de alguma maneira.

E metodologia ágil: o que é?

A metodologia ágil é o método criado com base nos conceitos da cultura ágil. Trata-se do conjunto de práticas e técnicas para a condução de projetos capazes de otimizar o fluxo de trabalho, aumentar a produtividade e a satisfação dos clientes, e ampliar as perspectivas de crescimento do negócio.

Focada na individualidade, esse método  amplia a captação do potencial de cada indivíduo envolvido nos processos da empresa, torna a aprovação de processos criativos menos burocráticos, e cria mais engajamento na produção de resultados.

Essa cultura, com viés na colaboração e cooperação, surgiu em 2001, quando um grupo de programadores de TI (Tecnologia da Informação) criou um manifesto baseado na valorização do dinamismo em conjunto com o potencial humano.

Manifesto para Desenvolvimento Ágil de Software

A cultura ágil surgiu das dificuldades que os desenvolvedores de software tinham para produzir novas tecnologias na década de 1990, quando a produção de softwares só podia ser realizada linearmente, baseada no modelo waterfall ou cascata.

A metodologia da época acontecia de forma inflexível, o que prejudicava o desenvolvimento e travava as mudanças nos processos de TI, o que culminou em um ambiente de trabalho bastante exigente e sufocante.

Com a virada do milênio, um grupo de 17 desenvolvedores de tecnologias se reuniu em Utah, nos EUA, no intuito de discutir o cenário de produção daquele momento e criar soluções que tornassem esse desenvolvimento mais leve e baseado em suas experiências.

Foi quando foi elaborado o Manifesto para o Desenvolvimento Ágil de Software, onde ficaram estabelecidos os 12 princípios da metodologia ágil, e os quatro fundamentos-chave de uma cultura ágil.

Os fundamentos da cultura ágil

Na discussão dos desenvolvedores de software, eles definiram quatro fundamentos base. Esses princípios visam a colaboratividade e o estímulo da produção individual, no intuito do desenvolvimento sempre acompanhar as mudanças. 

  • Indivíduos e interações acima de processos e ferramentas.
  • Software funcionando acima de documentação abrangente.
  • Colaboração com o consumidor/cliente acima de negociação de contratos.
  • Resposta às transformações/mudanças, mais do que seguir um plano.

Os 12 princípios do Manifesto Ágil transformados em valores da cultura ágil

O grande objetivo do Manifesto Ágil foi aumentar a colaboração entre equipes e também estimular as ideias, sempre com o foco nos resultados gerados para os consumidores. Veja a seguir cada um dos 12 princípios por trás do Manifesto Ágil, transformados em valores da cultura ágil.

  1. A satisfação do cliente é a prioridade, para isso, a produção de produtos com valor agregado deve ser contínua.
  2. Mudanças devem ser bem recebidas, pois tornam os processos ágeis mais vantajosos e competitivos.
  3. As entregas devem ser contínuas, pois, quanto menos tempo produzindo, mais variedade de produtos e serviços a empresa entregará.
  4. O trabalho em equipe deve ser valorizado e estimulado diariamente.
  5. A empresa deve fornecer todas as ferramentas necessárias para que a produção seja ágil, isso inclui ambiente de trabalho, ferramentas e suporte.
  6. A comunicação deve ser uma das ferramentas mais estimuladas na cultura ágil. Portanto, a cultura do feedback deve estar alinhada aos processos.
  7. Um produto final funcionando com qualidade, reflete no êxito dos processos. 
  8. Todo o processo de produção deve ser ágil, isso inclui profissionais e processos, garantindo a sustentabilidade de uma cultura ágil.
  9.  A excelência deve ser o parâmetro. Observar sempre a qualidade de atendimento, procedimentos e ferramentas.
  10. Esforço que não gera valor deve ser eliminado. Quanto mais simples for a solução, mais resultados ela dará.
  11. As equipes devem ser bem organizadas, para que o atendimento das demandas sejam mais ágeis. 
  12. Os intervalos regulares são importantes na cultura ágil, pois, eles estimulam a reflexão sobre processos que possam ser otimizados. 

Como a cultura ágil funciona na gestão de projetos?

A adaptação da cultura ágil na gestão de projetos corresponde à aplicação de técnicas para a otimização e entrega de soluções e resultados para a empresa e principalmente seus consumidores.

Em empresas com uma cultura de gestão mais elitista e vertical, a implementação do pensamento ágil no primeiro momento pode ser um choque, mas esse método facilita a transformação das equipes, as tornando mais autogerenciáveis e multidisciplinares.

Atualmente, boa parte das ferramentas aplicadas aos processos empresariais utiliza a metodologia ágil, e, diversas plataformas de gestão de projetos já foram melhoradas para facilitar o trabalho gerencial dos colaboradores, tornando suas produções mais escaláveis.  

Até as novas empresas, chamadas de startups, foram criadas com base na metodologia ágil, e crescem graças ao potencial flexível dos seus sistemas e equipes focados em novas ideias.

Já os negócios que não nasceram no pensamento ágil, precisam se adaptar e abraçar a estratégia, criando a consciência que nem tudo pode ser antecipado, mas que a flexibilidade pode ser a chave do sucesso. 

Como aplicar a cultura ágil?

Para que a cultura ágil seja bem implementada, é necessário que a empresa conte com uma liderança de alta performance, que consiga desenvolver nos colaboradores a aspiração de transformar o negócio em uma estrutura competitiva, que vise o futuro e não apenas a eliminação de alguns problemas.

Esse pensamento está alinhado a um estudo da McKinsey, que enfatiza que mudanças que consideram os pontos fortes e os desafios têm três vezes mais chances de dar certo. E uma transformação ágil tende a transformar fundamentalmente a maneira como o trabalho é realizado.

O processo para implementar um modelo operacional ágil se baseia em:

  • visão: entender em quais processos o valor é criado em cada setor da empresa, definir fluxos de ponta a ponta e identificar elementos para tornar esse processo mais ágil, dinâmico e estável;
  • estrutura: criar uma estrutura geral (plano de ação), identificar quais grupos organizacionais devem fazer parte do fluxo e definir o eixo de capacidades a desenvolver;
  • equipes ágeis: identificar as equipes e definir suas missões de entrega dos fluxos de trabalho e selecionar a maneira mais ágil disso acontecer;
  • backbone: definir quais os princípios de processos, pessoas e tecnologias para melhorar a agilidade e apontar as mudanças necessárias na cultura da empresa.
  • road map: definir como a cultura ágil será implementada, elaborar um plano de ação, criar as tarefas e iniciá-la o quanto antes. 

Qual a importância da metodologia ágil para as empresas?

O terceiro tópico do relatório de tendências de Customer Experience do Zendesk enfatiza a importância da agilidade nos processos dos times de atendimento e suporte, pontuando a importância da flexibilidade para as equipes.

Diversos recursos têm sido adicionados às ferramentas de trabalho, e a eficiência é vista desde os setores internos das empresas, no intuito de atender mais demandas e tornar as equipes mais colaborativas e produtivas. 

Um exemplo citado no mesmo relatório fala sobre o aumento de 30% dos agentes mistos, fato que mostra a importância da metodologia ágil nas organizações que buscam acelerar suas entregas de serviços, aprimorar as habilidades dos colaboradores, melhorar a produtividade e aumentar a satisfação dos clientes.

Qual a diferença entre a metodologia ágil e a metodologia tradicional?

A metodologia tradicional, conhecida como modelo “cascata”, segue um padrão de gerenciamento linear, sem mudanças ao longo dos processos. Isso serve para qualquer tipo de empresa, mas, nem sempre um padrão é favorável para qualquer empresa.

Na metodologia ágil também existe um processo de gerenciamento, mas ele é totalmente flexível, e a participação dos colaboradores é fundamental para o desenvolvimento de novas estratégias.

Enquanto o método tradicional é criado para melhorias do produto, a metodologia ágil é voltada para as necessidades do cliente.  

Importante dizer que a escolha do método deve ser pensado conforme a dinâmica da empresa, e nem sempre a metodologia ágil será a mais adequada.

Assista o TeDxTalks com Zaheer Ali, e entenda como fazer a cultura ágil funcionar bem.



4 exemplos de metodologias ágeis

Existem vários métodos focados em agilidade de processos utilizados pelas empresas. Confira quatro  exemplos de metodologias ágeis muito utilizadas no Brasil, no intuito de tornar abordagens mais eficientes.

ASD

O Adaptive Software Development (ASD) — desenvolvimento adaptativo de softwares —, é uma técnica proposta por Jim Highsmith, com o foco no desenvolvimento de soluções mais complexas baseadas na colaboração humana e na auto-organização.

Trata-se de uma metodologia ágil orientada para missões com prazos pré-fixados, orientada a riscos e completamente interativa e tolerante a mudanças.

DSDM

O Dynamic Systems Development Method (DSDM) — metodologia de desenvolvimento de sistemas dinâmicos — é uma metodologia ágil utilizada no gerenciamento de projetos de alta qualidade. 

A DSDM é uma abordagem mais comercial da cultura ágil, e se baseia no valor, na capacidade das equipes, em testes e na colaboração do cliente. 

Lean

Lean é um conceito anterior ao da metodologia ágil, focado em agregar valor ao consumidor e reduzir desperdícios. Esse é um método muito utilizado por startups, já que essas empresas não podem desperdiçar seus aportes de forma nenhuma.

Trata-se de um “pensamento enxuto” usado para aproveitar todo o potencial das pessoas na melhoria contínua dos processos, sempre focando no fluxo de valor, na produção sem sobras ou estoque e na perfeição. 

Scrum

Segundo o Guia do Scrum, “scrum é um framework simples que ajuda pessoas, equipes e organizações a gerarem valor por meio de soluções adaptativas para problemas complexos.”

Esse é mais um exemplo de metodologia ágil, como foco na otimização da execução dos processos, ou seja, organiza melhor as equipes, distribuindo tarefas fragmentadas e tornando a produção mais eficiente. 

Compare: Scrum vc Kanban: qual o melhor para o seu projeto? 

Quais os benefícios de metodologias ágeis?

Ao longo deste texto foi possível notar que uma cultura ágil bem implementada aos processos consegue transformar uma empresa. Dentre os benefícios de metodologias ágeis, podemos destacar:

  • aumento da produtividade;
  • uma comunicação mais horizontal;
  • a promoção da autonomia nas equipes;
  • o encantamento dos clientes;
  • valorização da cultura do feedback;
  • dentre outros.

Apesar de tantos benefícios, também existem muitos desafios na implementação das metodologias ágeis, principalmente para empresas que eram adeptas de culturas tradicionais.

Mas como mostramos, hoje já existem diversas formas de aplicar essa cultura. Uma delas é implementar um sistema de gestão que ajude o negócio a centralizar e automatizar funções, e a nossa dica é que você conheça o Zendesk para atendimento ao cliente, um software de gerenciamento que pode tornar seus processos mais ágeis.

E essa é apenas uma das várias possibilidades que a plataforma da Zendesk oferece. Experimente esta ferramenta.

Software de suporte ao cliente

O software de suporte ao cliente da Zendesk é fácil de usar e oferece uma melhor experiência de atendimento.