Artigo

O que é Comunicação Não Violenta (CNV)?

Por Douglas da Silva, Web Content & SEO Associate, LATAM

Publicado 10 março 2021
Última atualização em 10 março 2021

O conhecimento sobre o que é Comunicação Não Violenta é uma maneira de aprimorar os seus relacionamentos pessoais e profissionais.

Isso porque, Comunicação Não Violenta, ou simplesmente CNV, é uma forma de agir que tem como objetivo trabalhar conflitos interpessoais da melhor maneira possível.

No meio corporativo, essa é uma estratégia que ajuda a aprimorar a liderança, bem como promove a boa convivência entre os membros das equipes.

O que é Comunicação Não Violenta (CNV)?

Saber o que é Comunicação Não Violenta consiste em entender se tratar de uma abordagem que tem como principal função tornar os relacionamentos interpessoais mais saudáveis.

A ideia é desenvolver capacidades como empatia, comunicação, saber ouvir e compreender o momento e as necessidades da outra pessoa.

Como surgiu a CNV?

Para entender melhor o que é Comunicação Não Violenta é bem importante também saber como ela surgiu.

A Comunicação Não Violenta foi desenvolvida pelo psicólogo americano Marshall B. Rosenberg em 1960.

Rosenberg parte do princípio que a crescente violência entre pessoas é decorrente de uma postura em desacordo com os seus verdadeiros valores.

Devido às diferentes culturas, valores e opiniões, a comunicação pode dar espaço a relações conflituosas, levando a um ciclo de emoções dolorosas que se repete.

Qual a importância da Comunicação Não Violenta (CNV)?

A Comunicação Não Violenta é uma estratégia que ajuda no aprimoramento dos relacionamentos, tanto pessoais quanto profissionais.

A utilização da CNV nas suas relações contribui para evitar conflitos decorrentes de uma comunicação não ideal. 

Vale considerar que esses conflitos, muitas vezes, podem se intensificar e se tornar a origem de diversos outros problemas.

Quais são os dois eixos principais da CNV?

Os dois eixos principais da Comunicação Não Violenta são empatia e autenticidade.

  • Empatia: capacidade de se colocar no lugar do outro e compreender verdadeiramente a situação pela qual ele está passando
  • Autenticidade: capacidade de se expressar de maneira sincera e respeitosa, compreendendo os limites do outro sem deixar de se pronunciar.

Dica de leitura: “O que é mapa de empatia e como ele pode ajudar em sua estratégia?

Quais são os 4 componentes da CNV?

Mas para deixar o entendimento sobre o que é Comunicação Não Violenta realmente completo, é fundamental conhecer também os seus 4 componentes.

Assim, os quatro componentes da Comunicação Não Violenta são:

  • Observação
  • Sentimento
  • Necessidade 
  • Pedido

Observação

A observação é o primeiro passo da Comunicação Não Violenta, e consiste em olhar para a situação ou para uma conversa da maneira como elas realmente são. Ou seja, sem aplicar as suas opiniões e percepções antes de analisar todo o contexto.

O propósito desse componente da CNV é não criar valor quanto ao que está sendo transmitido, apenas identificar aquilo que gostou ou não dentro do diálogo ou momento.

Sentimento

O segundo componente da Comunicação Não Violenta contempla nomear o sentimento gerado por aquela interação.

Isso quer dizer que você deve avaliar de maneira sincera e real qual sensação aquela conversa ou situação lhe provocou. Por exemplo, pode ser raiva, medo, frustração, mágoa, felicidade, entre outros.

Expressar os sentimentos da maneira certa durante um diálogo ajuda a mostrar à outra pessoa o impacto que aquele momento tem sobre você, contribuindo para resolver a situação apresentada.

Necessidade 

Uma vez identificado os sentimentos que aquele momento lhe causa, o passo seguinte da Comunicação Não Violenta é reconhecer quais necessidades eles geram.

Ao saber quais são as suas necessidades e expressá-las de forma clara, sem perder o foco na empatia e na autenticidade, fica mais fácil conseguir com que elas sejam atendidas. 

Pedido

Com todos os componentes definidos, a Comunicação Não Violenta é finalizada com a formulação do pedido. Ou seja, com a verbalização daquilo que se pretende alcançar.

Esse pedido, por sua vez, deve ser feito com expressões e linguagens positivas e afirmativas. Se manifestar dessa forma ajuda para que a outra pessoa entenda o seu posicionamento sem se sentir ofendida ou mesmo agredida verbalmente.

Exemplo da aplicação do 4 componentes da CNV

Para deixar o entendimento sobre o que é Comunicação Não Violenta mais claro, vamos utilizar um exemplo.

Imagine um Gerente de Atendimento ao Cliente que solicitou a um dos seus colaboradores um relatório sobre o número de chamados que atendeu em determinado período.

Ainda que a solicitação tenha sido clara, o membro da equipe deixa de atender ao pedido do seu líder.

Aplicando o conceito de Comunicação Não Violenta, ao invés de o Gerente de Atendimento ao Cliente utilizar expressões como “Eu já não pedi para fazer o relatório?” ou ainda “O que falta para você fazer o que eu pedi?”, o ideal seria:

  • Percebi que você ainda não gerou o relatório que lhe pedi [observação]. Isso dificulta a análise das metas e me deixa um pouco preocupado [sentimento], já que precisamos desses dados para passar nossa produtividade para a diretoria [necessidade]. Que tal dar um tempinho no seu atendimento e providenciar o relatório quanto antes? [pedido]

A utilização da Comunicação Não Violenta não apenas contribui para o atendimento da solicitação, mas também evita conflitos desnecessários que podem tomar proporções maiores e até atingir outros membros da equipe.

Aproveite e leia também “A importância do feedback na gestão de pessoas: porque implementar essa cultura?

Como usar a Comunicação Não Violenta (CNV)?

Por fim, para saber mais sobre o que é Comunicação Não Violenta, é interessante entender como aplicá-la na sua vida pessoal e profissional.

Pessoalmente, é indicado que você:

  • Saiba ouvir;
  • Pratique a empatia;
  • Avalie a situação como um todo antes de dar a sua opinião;
  • Quando apresentar o seu ponto de vista, faça isso de maneira positiva e respeitosa.

Sugestão de leitura “O que é autogestão: definição, importância e 5 dicas de como implementar esse modelo de gestão

Como líder, é importante que você:

  • Oriente os colaboradores sobre a importância de saber conversar, bem como de saber ouvir. Esse princípio é válido tanto para colegas de trabalho quanto para o relacionamento com clientes
  • Incentive a colaboração entre equipes e membros de um mesmo time
  • Esteja disponível para ouvir os apontamentos dos seus funcionários
  • Apresente soluções para os problemas de modo que seja benéfico a todos
  • Respeito os limites e espaço de cada profissional.

Amplie o seu conhecimento e melhore a sua gestão lendo o artigo “Inteligência emocional no atendimento ao cliente: entenda o que é, a importância e como desenvolver

Software de suporte ao cliente

O software de suporte ao cliente da Zendesk é fácil de usar e oferece uma melhor experiência de atendimento.