Ir para o conteúdo principal

Artigo 11 min read

O que é venda direta? Como funciona? 11 estratégias para vender mais

Por Zendesk

Última atualização em 22 março 2024

A venda direta é um modelo de distribuição e comercialização que funciona de uma pessoa para a outra, sem a necessidade de intermediários. Em outras palavras, o revendedor negocia diretamente com o consumidor final, sem envolvimento de lojas, supermercados e varejistas em geral.

O volume de negócios de venda direta cresceu 10,5% em 2020, de acordo com a Associação Brasileira de Venda Direta (ABEVD). Isso representa uma movimentação de cerca de R$ 50 bilhões.

São mais de quatro milhões de revendedores, sendo o segmento de cosméticos e cuidados pessoais responsável por mais de 52% do total. Essa expansão se deve, em parte, à pandemia de covid-19. Com as demissões em massa que ocorreram nesse trágico período, as pessoas viram nos diversos tipos de venda direta uma oportunidade para gerar renda de maneira autônoma.

Hoje, o Brasil ocupa o 6º lugar no ranking de países com mercado de vendas diretas mais aquecido.

Um grande exemplo de empresa que trabalha com venda direta é o Boticário, que recentemente transformou suas revendedoras em influenciadoras digitais para aumentar as vendas. 

Já a sua concorrente, a Natura, divulgou recentemente ter em seu banco de dados cerca de 1,2 milhão de revendedores. Portanto, trata-se sem dúvidas de que é um mercado que cresce cada vez mais com o passar dos anos.

Tendo isso em vista, criamos este conteúdo para explicar tudo o que você precisa saber sobre venda direta. Continue a leitura e confira:

  • O que é venda direta?
  • Como funciona a venda direta?
  • Qual a diferença entre vendas diretas e indiretas?
  • Quais as vantagens da venda direta?
  • Quais são os tipos de venda direta?
  • 11 dicas para uma boa estratégia de venda direta. 
Resumo

  • Nas vendas diretas, os vendedores mantêm um contato mais próximo com os clientes, não envolvendo terceiros durante o processo de negociação, podendo ser presenciais ou on-line, desde que não sejam em lojas.
  • As mercadorias vão direto das fábricas para que, em seguida, os representantes comerciais ou vendedores as repassem diretamente para os clientes, sem nenhuma mediação.
  • Esse modelo de venda proporciona um contato mais personalizado com os clientes, preços mais competitivos, flexibilidade para trabalhar, além de demandar um menor investimento a longo prazo e na contratação de equipes.
  • As vendas diretas podem ser feitas por sites, redes sociais, eventos, catálogos ou de porta em porta.

Conteúdos relacionados: 

O que é venda direta?

A venda direta é uma modalidade de venda que trabalha com o contato direto entre o vendedor e o consumidor, sem envolvimento de terceiros. Isto é, significa vender produtos aos clientes em um ambiente que não seja de varejo.

Ao invés disso, as vendas podem ocorrer em casa, no trabalho, de forma online ou quaisquer outros locais que não sejam uma “loja”. O processo depende muito dos próprios vendedores, que devem construir estratégias para abordar clientes e criar uma relação para realizar a venda.

Como funciona a venda direta?

A venda direta acontece essencialmente entre o vendedor ou representante da empresa e o comprador ou cliente. É um processo de venda que elimina os intermediários envolvidos na comercialização do produto, como centros de distribuição ou atacadistas.

Desta forma, as mercadorias partem do fabricante para as empresas que trabalham com vendas diretas ou para os próprios representantes. Esses, por sua vez, são os responsáveis por repassar os produtos para os consumidores finais. Como vimos mais acima, O Boticário e a Natura são bons exemplos de venda direta.

É importante salientar que os produtos, neste caso, geralmente não são encontrados em varejos típicos. Portanto, comprá-los por meio dos representantes costuma ser o único método.

Aliás, normalmente, a venda direta é associada ao marketing multinível, mas existem diferenças entre os conceitos

A principal delas é que, no caso do marketing multinível, além de obter o lucro pela sua própria venda, a pessoa também ganha percentuais das vendas de outros vendedores que ela tenha indicado, criando cada vez mais níveis abaixo dele.

Não deixe de ler: 13 técnicas de vendas e atendimento para gerar mais e melhores resultados

Qual a diferença entre vendas diretas e indiretas?

Para deixar ainda mais claro o que é venda direta, podemos estabelecer uma comparação definitiva com a venda indireta. Em suma, a principal diferença entre vendas diretas e indiretas está justamente no modo de distribuição.

A venda direta não possui intermediação no processo, é de pessoa para pessoa. Por outro lado, a venda indireta conta com um intermediário, como varejistas, que repassam o produto ao cliente final.

Quais as vantagens da venda direta?

Esclarecido o que é venda direta, como funciona e qual a diferença entre vendas diretas e indiretas, que tal conferir algumas vantagens que esse modelo tem a oferecer tanto para quem vende quanto para quem compra?

  • Atendimento mais próximo e personalizado com o cliente;
  • Não há necessidade de uma grande equipe para começar
  • Ganhos conforme o próprio desempenho nas vendas;
  • Preços competitivos comparados aos varejistas;
  • Flexibilidade de local e horas de trabalho;
  • Maior cuidado com a imagem da marca;
  • Melhor organização, gestão de tempo e produtividade;
  • Investimento menor a longo prazo.

Quais são os tipos de venda direta?

Podemos definir os tipos de venda direta em 4 principais exemplos, mas todos têm como base o mesmo conceito: o relacionamento pessoal com o cliente. Veja a seguir os principais tipos!

1. Websites e redes sociais

Os meios digitais são ótimas oportunidades para quem tem interesse em saber como trabalhar com venda direta. Mais abaixo falaremos sobre a importância das redes sociais, por exemplo, para uma estratégia mais eficiente de contato com consumidores.

Porém, adiantando o assunto, ter seus próprios canais online para anunciar e vender seus produtos diretamente aos clientes é a melhor forma de começar com baixos custos de investimento, personalização de atendimento e tráfego orgânico.

2. Eventos (party plan)

Apesar de a pandemia ter dado uma desacelerada em eventos em geral, esses são um dos tipos de venda direta mais comuns. 

As party plans, como também são conhecidas, ocorrem de modo informal para demonstrar os produtos, além de criar uma interação entre os revendedores e os potenciais clientes/consumidores.

A organização de eventos pode ser só uma reunião de amigos e colegas ou uma exposição pública de maior escala. O importante é estimular o relacionamento pessoal com os clientes!

3. Venda por catálogo

Impossível pensar em tipos de venda direta sem lembrar dos clássicos catálogos que as empresas oferecem para seus representantes. 

São pequenas revistas que contêm listas, fotos e descrições dos produtos que podem servir de apoio para a hora de negociar com os consumidores e repassar informações importantes.

Atualmente, os catálogos virtuais são bem comuns e se adaptam às necessidades de um mercado cada vez mais digital.

4. Venda de porta em porta

Por fim, o último exemplo de venda direta é o tradicional “porta em porta”. Este tipo de venda costuma ocorrer ainda nos dias de hoje, com visitas agendadas para apresentação e demonstração dos produtos.

A visita pessoal traz um atendimento ainda mais humanizado e personalizado, sem contar que pode a venda pode ser feita com baixo investimento. 

Este tipo de venda direta também pode ser considerada uma consultoria, pois o vendedor tem a chance de dar dicas e orientar a melhor forma de usar os produtos oferecidos.

Leia também: 9 principais tipos de venda: qual combina melhor com o seu modelo de negócio?

11 dicas para uma boa estratégia de venda direta

A venda direta tem suas particularidades, mas no final das contas, é um processo que exige planejamento como todos os outros. Por isso, escolhemos algumas dicas para caprichar em suas estratégias

Confira logo abaixo!

1. Defina objetivos e metas

Independentemente do tipo de vendas diretas que deseja utilizar, o primeiro passo para uma boa estratégia é estabelecer os objetivos e metas de vendas do seu negócio.

Esses objetivos precisam ser bem definidos para que você saiba quando os alcançou ou não. Você está trabalhando com vendas diretas para chegar onde, exatamente?

A verdade é que é impossível criar um negócio de vendas diretas sem objetivos e metas palpáveis. Ambos são a base para o sucesso!

Confira algumas dicas para criar seus objetivos:

  • seja específico com seus objetivos;
  • tenha metas praticáveis e sob controle;
  • determine um passo a passo detalhado;
  • crie uma linha do tempo para atingir os objetivos;
  • controle as expectativas de suas vendas.

2. Conheça bem o seu público-alvo

Quando você conhece bem seu público-alvo e todas as suas particularidades, pode garantir que esteja oferecendo seus produtos para as pessoas certas. Logo, verá um aumento nas conversões e uma maior fidelidade dos clientes.

Comece identificando e criando as personas para obter dados e informações sobre seus estilos de vida, hábitos, interesses, desejos e problemas. Conhecer os detalhes da sua audiência é um dos pilares mais importantes para as vendas diretas (e indiretas também).

Além disso, outra vantagem de conhecer bem seus clientes é ser capaz de contornar as objeções de vendas. Por mais que o produto esteja oferecendo a solução perfeita para seu cliente, diferentes argumentos e objeções contra a aquisição podem surgir.

Quando isso acontecer, ter o máximo de informações possíveis sobre sua audiência permitirá que você saiba como lidar com tais entraves para conseguir finalizar a venda direta. O mesmo vale para seu produto: você o conhece a fundo?

3. Saiba tudo sobre os produtos

A venda direta fica muito mais fácil quando você sabe tudo sobre o que está vendendo. Afinal, os clientes podem sentir quando você sabe ou não do que está falando. 

Eles precisam ter confiança em você e saber que podem tirar qualquer dúvida que tiverem, e para isso é preciso saber todos os detalhes acerca dos seus produtos e ofertas.

Como resultado, é bem mais provável que seus potenciais clientes acreditem em você quando disser que seus produtos são as melhores soluções para suas necessidades.

4. Construa relacionamentos com seus clientes

A sua primeira prioridade ao trabalhar com venda direta não é vender. Pode parecer irônico, mas o passo mais importante deste processo é construir relacionamentos com seus clientes para ganhar a sua atenção e tempo. 

Ou seja, as informações obtidas na dica de que você deve conhecer seu público serão utilizadas aqui para que você tenha contato e relações reais com seus potenciais clientes.

O princípio das vendas diretas é o contato imediato com os consumidores. Isso permite que os representantes usem abordagens individuais e construam um relacionamento forte e uma experiência inesquecível para os clientes. E, claro, clientes satisfeitos são clientes fiéis!

5. Ofereça um atendimento personalizado

Seguindo no ritmo da última dica para melhorar as suas estratégias de venda direta, temos mais um ponto importante em relação aos clientes. Fazer um excelente atendimento personalizado é um grande diferencial.

No relatório Zendesk de Tendências para a Experiência do Cliente, dados comprovam que o atendimento recebido é um dos quesitos mais importantes para o consumidor se tornar fiel a uma marca. Na avaliação, o preço ficou em primeiro lugar com 62%, e o atendimento em segundo com 57%.

O atendimento personalizado permite adaptar a comunicação com seus prospects conforme a linguagem e as necessidades do cliente, com o objetivo de entregar soluções pontuais por meio da venda direta.

Uma forma de oferecer um atendimento personalizado é usando a Inteligência Artificial para criar chatbots mais precisos e naturais. Confira como a solução da Zendesk funciona!

Deixe a IA cuidar do trabalho e tenha mais produtividade

6. Aprimore suas habilidades de venda 

Saber como trabalhar com venda direta requer o desenvolvimento de diversas habilidades essenciais. Seja para você ou para sua equipe de representantes, aprimorar essas habilidades com treinamentos é um passo que não deve ser negligenciado.

Profissionais de vendas precisam ter uma mentalidade tanto competitiva quanto de ajudar o próximo (os clientes, neste caso). 

Certas habilidades permitem que um vendedor de sucesso identifique as melhores oportunidades, empatize com os consumidores, utilize técnicas de persuasão e, claro, conclua a venda com perfeição.

Muitas das habilidades necessárias para trabalhar com vendas diretas são as famosas soft skills, como:

Você pode aprimorar essas e outras habilidades por meio de cursos, workshops e webinars gratuitos. A partir de uma breve pesquisa no Google, você consegue encontrar várias opções com custo zero e podem ser feitas, inclusive, de forma 100% online.

7. Tenha uma presença nos canais online 

Não é porque antes era comum sair de porta em porta para trabalhar com venda direta que essa realidade seja a única hoje em dia. O marketing de afiliados está aí para provar isso, uma vez que a presença online é fundamental para fazer vendas diretas.

Por exemplo, as redes sociais são consideradas um dos melhores canais online para criar autoridade e gerar engajamento com consumidores. Pense no exemplo que citamos no começo do artigo e a capacitação que O Boticário fez para tornar suas representantes em influenciadoras digitais.

A própria ABEVD revelou por meio de seu estudo sobre Social Selling que as ferramentas digitais, como WhatsApp, sites e mídias sociais, são os principais meios para a divulgação e conversão de produtos de venda direta.

8. Faça uma boa gestão de estoque

Não há como trabalhar com venda direta e ser bem-sucedido nesse modelo se você não fizer uma gestão de estoque eficiente.

É muito importante que você tenha controle sobre a demanda por seus produtos de modo a evitar que eles se percam pelo excesso ou que você deixe passar oportunidades de venda por que eles estão em falta no estoque.

Além disso, o controle de estoque favorece também a gestão financeira.

9. Prepare-se para a sazonalidade

Esta dica tem tudo a ver com o que acabamos de falar. Nas vendas diretas, você deve considerar os períodos de sazonalidade. Ou seja, quais são as épocas do ano em que a demanda por seus produtos é maior e em que meses a procura é mais modesta?

Ao entender a sazonalidade, é possível traçar estratégias comerciais mais específicas para potencializar os seus ganhos nos períodos de alta e não comprometer o seu caixa nos meses de baixa.

10. Tente diversificar o seu mix de produtos

Como você já sabe, um dos maiores exemplos de venda direta são aqueles de produtos cosméticos e de perfumaria.

Em um primeiro momento, você pode, sim, se concentrar em uma quantidade limitada de produtos. Porém, quando você se firmar nesse modelo de vendas e construir uma clientela mais sólida, é possível estudar a possibilidade de ampliar o seu mix e oferecer outras soluções.

Dessa forma, você consegue alcançar um público consumidor maior e potencializar os seus ganhos.

11. Gerencie os clientes e as vendas

Por fim, a venda direta também exige que você faça uma boa gestão dos clientes e vendas para obter o melhor retorno possível. 

Afinal, você não quer que sua estratégia vá por água abaixo simplesmente por não acompanhar importantes indicadores de desempenho (KPIs).

Por isso, é sempre bom manter relatórios com informações sobre seus clientes e vendas. Os dados são de extrema relevância para um processo de vendas direta mais eficaz e produtivo.

E então, o que você achou deste guia sobre venda direta? Bem interessantes essas dicas que trouxemos aqui, não é mesmo?

Para te ajudar a colocar em prática tudo o que você aprendeu neste conteúdo, você pode utilizar a tecnologia a seu favor.

Um sistema de gestão de relacionamento com os clientes, como o Zendesk Service, ou também um CRM de vendas permite que você avalie suas estratégias, identifique possíveis falhas e encontre técnicas cada vez mais eficazes. 

O CRM de vendas da Zendesk, por exemplo, é a escolha certa por ser uma ferramenta simples, projetada para manter as vendas a todo vapor e permitir que você:

  • transforme conversas em conversões;
  • entre em ação com um CRM de vendas completo;
  • segmente e filtre suas chamadas e oportunidades em tempo real;
  • integre seus aplicativos a um Sistema CRM de vendas;
  • obtenha dados para um processo mais eficaz.

O Zendesk Sell facilita a atualização das oportunidades para que sempre possa acessar e analisar dados relevantes sobre clientes e vendas. Clique aqui para conferir mais detalhes de todos os recursos do Zendesk Sell.

Aproveite também para fazer um teste gratuito do Zendesk Service ou assista a uma demonstração do software que vai melhorar a produtividade, os processos e a visibilidade do seu pipeline de vendas. 

Ah, e no botão abaixo você já consegue conferir todos os nossos valores, para não ter nenhuma surpresa!

A Zendesk tem planos adaptados à realidade da sua empresa, seja ela grande ou pequena.

Histórias relacionadas

Artigo
11 min read

O que é prospecção de vendas? Descubra como gerar mais oportunidades

Entenda o que é prospecção de vendas, as principais técnicas, qual a melhor maneira de prospectar novos clientes e como a IA pode ajudar.

Artigo
11 min read

Inbound Sales versus Outbound Sales: quais são as diferenças?

Entenda o que é Inbound Sales, a diferença para o Outbound, principais vantagens

Artigo
9 min read

Chat de vendas: como usá-lo para melhorar as negociações?

Entenda o que é e como o chat de vendas pode alavancar os resultados do seu negócio + dicas de como usar o atendimento via chat!

Artigo
11 min read

Descubra os 5 tipos de consumidores mais comuns no mercado

Você sabe quais são os tipos de consumidores mais comuns? Conheça o perfil e características do brasileiro, a importância para sua estratégia e mais.